Melhor fundo aposta em ganhos nos mercados emergentes até 2018

Srinivasan Sivabalan

(Bloomberg) -- As ações e os títulos de mercados emergentes apenas começaram uma recuperação que pode durar até 2018, diante de um novo ciclo de ganhos para as commodities, de acordo com o fundo negociado em bolsa (ETF, na sigla em inglês) dedicado aos países em desenvolvimento de melhor desempenho.

A Invesco PowerShares Capital Management analisou dados que remontam a 1973 para mostrar que as commodities geralmente atravessam um ciclo de ascensão e queda a cada sete anos, e os maiores ganhos são obtidos nos dois primeiros. A última rodada pode ter começado em janeiro, e os mercados emergentes se beneficiarão principalmente por dependerem da exportação de matérias-primas, como petróleo, metais preciosos e produtos agrícolas, de acordo com a gestora de ativos com sede em Illinois, nos EUA.

"A maior parte dos potenciais retornos cíclicos parece estar por vir", disse Jason Bloom, diretor de estratégia e pesquisa sobre commodities e investimentos alternativos da Invesco, cujo fundo de dívida soberana proporcionou as maiores taxas de retorno ajustadas à volatilidade nos últimos 12 meses entre os ETFs dos EUA com pelo menos US$ 1 bilhão em ativos.

As bolsas de países em desenvolvimento entraram em uma fase de alta em março e os títulos dessas nações estão dando alguns dos ganhos mais certeiros do mundo. Um indicador de commodities da Bloomberg subiu 14 por cento desde as mínimas de janeiro. O índice MSCI Emerging Markets deu retorno acumulado médio de 63 por cento nos dois primeiros anos de cada um dos quatro últimos ciclos de commodities, segundo cálculos da Invesco.

O passado indica que os avanços continuarão até os preços das matérias-primas atingirem o pico, de acordo com a Invesco, que baseia sua perspectiva na recuperação simultânea das commodities e do dólar. O aprofundamento da correlação negativa entre essas duas classes de ativos foi característica marcante dos ciclos anteriores, inclusive em um da década de 1970 em que os EUA decidiram permitir que sua moeda flutuasse livremente, disse Bloom.

A intensidade dos movimentos contrários no dólar e nas commodities chegou ao máximo desde agosto na quinta-feira, de acordo com dados compilados pela Bloomberg.

Para a Invesco, a compra de títulos denominados em dólar oferece a melhor equação entre risco e retorno, de acordo com Tom Boccellari, estrategista de produtos de renda fixa e investimentos alternativos na gestora de fundos. O índice composto da Bloomberg para títulos em dólar de mercados emergentes subiu 8,7 por cento em relação ao piso registrado no dia 20 de janeiro.

"A dívida de mercados emergentes denominada em dólar daria exposição a uma recuperação com participação em um possível estreitamento dos spreads, mas ajuda a reduzir a volatilidade cambial que pode oprimir os retornos de renda fixa", disse Boccellari. "Para os investidores que buscam riscos e retornos mais parecidos aos das ações, gostamos dos ETFs com exposição à moeda local."

No entanto, subir a ladeira não será fácil por causa das flutuações de preço das commodities, de acordo com Bloom.

"O ciclo de sete anos das commodities ofereceu historicamente uma janela de oportunidade de, na média, dois anos", disse Bloom. "Recomendamos calcular uma posição para reduzir os riscos ao entrar e sair do mercado."

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos