Bolsas

Câmbio

Especialistas alertam contra descartar ação do BC dos EUA

Wes Goodman

(Bloomberg) -- Três dos mais influentes investidores em títulos do mundo e o presidente do Fed (Federal Reserve, o banco central dos EUA) de Nova York dizem que a entidade está a caminho de elevar as taxas de juros mesmo após um aumento nos empregos, em abril, menor do que o previsto pelos economistas.

Bill Gross, ex-gerente do maior fundo de títulos do mundo, disse que o Fed poderá agir em sua próxima reunião, em junho. Mohamed El-Erian, conselheiro econômico-chefe da Allianz, disse que o Fed poderá se movimentar duas vezes neste ano. Mark Kiesel, da Pacific Investment Management, e o presidente do Fed de Nova York, William Dudley, fizeram coro.

Gross e seus colegas estão alertando os investidores a não descartarem uma ação do Fed depois que o Departamento do Trabalho reportou que os empregadores americanos contrataram 160 mil trabalhadores no mês passado, menos que os 200 mil projetados em uma pesquisa da agência de notícias Bloomberg com economistas.

A presidente do Fed, Janet Yellen, também está examinando as remunerações, que subiram 2,5% em relação ao ano anterior, mais do que o previsto. Os rendimentos das notas de dois anos estão muito baixos, segundo Gross.

"Não tenho certeza de que junho esteja fora da mesa", disse Gross, que atualmente administra o Janus Global Unconstrained Bond Fund, à Bloomberg Television em 6 de maio. "Mais do que nos empregos, Yellen está focada nos salários. Essa alta de 2,5% mostra que eles estão subindo".

Os rendimentos das notas de dois anos estavam em 0,73% após caírem para 0,68% em 6 de maio, nível mais baixo em quase três meses. O rendimento era 23 pontos-base maior que o limite superior da faixa do Fed para sua referência. O diferencial médio dos últimos 12 meses é de 41 pontos-base.

Um aumento de 0,25% elevaria a faixa-meta do Fed para 0,5% a 0,75%, com o limite superior da faixa indo além do rendimento de dois anos, segundo Gross. "Eu acho que isso não está precificado apropriadamente", disse ele.

Anteriormente Gross havia anunciado de forma prematura o fim da alta global dos títulos. "Os rendimentos do mercado desenvolvido tocaram o piso", escreveu ele no Twitter, em 10 de março. O rendimento do Bloomberg Global Developed Sovereign Bond Index caiu de 0,79% no dia do comentário para 0,65%.

O que diz El-Erian

Os mercados financeiros relativamente calmos e o dólar mais fraco facilitarão a ação do banco central, disse El-Erian, que também é colunista da Bloomberg View, à Bloomberg Television em 6 de maio. "Eu acho que o Fed elevará os juros pelo menos uma vez e poderia até elevá-los duas vezes neste ano", disse ele. O Fed "tem uma janela", disse ele.

As probabilidades de um aumento dos juros em junho são de cerca de 8%, subindo para 53% no fim do ano, segundo dados compilados pela Bloomberg com base nos futuros dos fundos federais.

Kiesel, da Pimco, disse que o mercado de trabalho está melhorando gradualmente. "Eles provavelmente começarão com um ou dois aumentos no fim do ano", disse ele à Bloomberg Television em 6 de maio.

Dudley, do Fed, disse que é razoável esperar dois aumentos neste ano, em entrevista ao New York Times publicada no site do jornal em 6 de maio, após a divulgação do relatório de emprego.

Um aumento do Fed em junho é improvável e isso significa que a economia global terá tempo de crescer sem precisar enfrentar um movimento do banco central americano capaz de conter a expansão, segundo Enna Li, da Mirae Asset Global Investments, em Taipé, Taiwan.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos