Há uma gigantesca montanha de minério na porta da China

Jasmine Ng

(Bloomberg) -- Tem uma montanha de minério de ferro parada bem na porta da China. Os estoques portuários cresceram para mais de 100 milhões de toneladas, a mais nova evidência de que o aumento da oferta no maior consumidor do mundo poderia prejudicar os preços.

Os estoques aumentaram 1,6% nesta semana, para 100,45 milhões de toneladas, o patamar mais alto desde março de 2015, de acordo com dados da Shanghai Steelhome Information Technology.

O estoque, que alimenta a maior indústria siderúrgica do mundo, se expandiu 7,9% neste ano e agora é grande o bastante para cobrir as importações de mais de cinco semanas.

O minério de ferro trilhou um caminho de ascensão e queda durante os últimos dois meses. Os investidores na China entraram com tudo nos futuros da matéria-prima, depois mudaram de rumo quando as autoridades reguladoras restringiram a negociação.

Embora as usinas chinesas tenham produzido recordes diários em abril para aproveitar o aumento do preço do aço, a produção nos primeiros quatro meses foi 2,3% menor que no ano anterior. Os estoques portuários na China poderiam continuar aumentando, de acordo com uma projeção do BHP Billiton nesta semana.

"Na verdade, há muito otimismo em relação ao aumento da demanda por aço na China", disse Ralph Leszczynski, chefe de pesquisa em Cingapura da corretora de navios Banchero Costa & Co., em entrevista por telefone.

"Mas ainda existem dúvidas, porque a economia continua bastante frágil", disse ele, que considera que o aumento dos estoques portuários é "provavelmente excessivo".

Importações

O volume de importações feito pela China aumentou 4,6%, para 83,9 milhões, no mês passado em contraste com o ano anterior, de acordo com dados alfandegários.

Os estoques portuários, que atingiram um pico de 113,7 milhões de toneladas em julho de 2014, estão acima da média de cinco anos, de cerca de 94 milhões de toneladas. No ano passado, a China importou 953 milhões de toneladas, o equivalente a cerca de 18,3 milhões de toneladas por semana, de acordo com dados oficiais.

O Goldman Sachs Group alertou que o crescimento vai acelerar neste ano, o que poderia alimentar uma abundância e fazer com que o preço da commodity caia novamente para US$ 40 por volta do fim do ano.

Em abril, mineradoras na Austrália, como BHP, Fortescue Metals Group e Roy Hill Holdings despacharam 37,7 milhões de toneladas através de Port Hedland, 6,5% a mais que no ano anterior.

Os estoques nos portos da China, que cresceram em 2016 apesar da recuperação da demanda, poderiam continuar aumentando durante o restante do ano, disse Vicky Binns, vice-presidente de marketing de minerais da BHP, em uma conferência em Cingapura na quinta-feira.

A expansão da produção de baixo custo transportada por via marítima pode superar o crescimento da demanda no curto e médio prazo, disse Binns.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos