Bolsas

Câmbio

Problemas com empresas chinesas preocupam investidores

Bloomberg News

(Bloomberg) -- Falta de carimbos corporativos, ativos misturados e executivos desaparecidos se tornaram características dos problemas de dívidas na China. Os investidores estão começando a perder a paciência.

A China Shanshui Cement disse neste mês que não poderia distribuir juros sem seu carimbo corporativo, mas o subscritor informou depois que o carimbo não era necessário. A Shenyang City Utility disse que não podia publicar uma declaração de reembolso porque o responsável pelo carimbo estava viajando. O valor nominal dos títulos da China City Construction Holding caiu de 100 yuans para 79 yuans no dia 6 de maio, quando seu acionista controlador mudou. A Fosun International foi uma das emissoras que informou ter perdido contato com seus executivos.

A falta de transparência e de proteção na documentação de títulos está aumentando o receio dos que investem na China, onde um recorde de 10 empresas deixaram de fazer seus pagamentos neste ano em meio ao crescimento econômico mais fraco em 25 anos. Isso levou as autoridades a endurecerem a regulamentação e a analisarem minuciosamente o trabalho de auditoria dos subscritores.

"Os calotes absurdos poderiam dissuadir os investidores estrangeiros a entrar no mercado de títulos corporativos da China", disse Wang Ying, analista sênior da Fitch Ratings em Xangai. "A administração corporativa interna de algumas empresas é um caos. É um fenômeno típico de uma etapa inicial de um mercado de títulos".

Quedas recorde

Os US$ 400 milhões dos títulos de 6,875 por cento com vencimento em 2020 da Fosun sofreram uma queda recorde um dia depois que a revista Caixin informou em dezembro que o presidente do conselho, Guo Guangchang, tinha desaparecido. Os títulos se recuperaram desde então, para 104,5 centavos de dólar. A Future Land Development Holdings disse em janeiro que seu presidente do conselho, Wang Zhenhua, estava sendo investigado pelas autoridades municipais de Changzhou. Seus títulos em dólar de 10,25 por cento com vencimento em 2019 sofreram uma queda recorde no dia seguinte e aumentaram para 109 centavos. Nem a Fosun nem a Future Land deixaram de pagar suas obrigações.

A China Shanshui deu o primeiro calote em suas notas continentais em novembro, porque um conflito com os acionistas entravou o financiamento. A Shenyang City Utility, um veículo de financiamento do governo local da capital da província Liaoning, na região nordeste do país, disse no dia 28 de abril que não poderia publicar a tempo a declaração de reembolso dos títulos porque um funcionário estava viajando e não poderia colocar o carimbo da empresa no documento. As empresas chinesas precisam de carimbos para declarar mudanças administrativas para que o governo possa registrá-las.

A empresa não deu calote em suas notas. Dois telefonemas ao departamento de relação com o investidor da China Shanshui não foram atendidos. Dois telefonemas aos números gerais da Baoding Tianwei Group e da Shenyang City Utility Group também não foram atendidos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos