Bancos globais têm pior começo ano com commodities em uma década

Agnieszka de Sousa

(Bloomberg) -- A receita em negócios com commodities dos maiores bancos teve o pior começo de ano em mais de uma década, diante da queda dos financiamentos para produtores de matérias-primas.

A renda somada de Goldman Sachs, JPMorgan Chase e mais 10 grandes bancos caiu para US$ 1,1 bilhão no primeiro trimestre, ou 40 por cento a menos do que um ano antes, de acordo com a empresa de análises Coalition Ltd. Foi a menor quantia desde o terceiro trimestre do ano passado e o pior início de ano desde 2005.

A receita encolheu porque os bancos restringiram operações de hedge e financiamento e também porque hedge funds que são seus clientes saíram do mercado de commodities, explicou Amrit Shahani, um diretor de pesquisa da Coalition. Com a queda acumulada do preço do petróleo de 54 por cento nos últimos dois anos, muitas empresas de energia passam aperto, colocando em risco os empréstimos dos bancos ao setor. No mês passado, JPMorgan, Bank of America e Citigroup informaram que aumentaram as provisões para cobrir perdas em empréstimos ao setor energético após o colapso da cotação do barril.

"Foi um trimestre bem lento", disse Shahani por telefone. "A questão da classificação de risco de crédito das companhias de energia realmente tornou-se um problema em 2015. E agora está sendo analisada com lentes de aumento em 2016."

No começo de abril, a Moody's Investors Service alertou que, no pior dos casos, os bancos precisariam de US$ 9 bilhões adicionais para cobrir empréstimos de recebimento duvidoso concedidos a companhias de petróleo e gás.

Setor energético

As preocupações com o setor energético limitaram o apetite por risco dos bancos, diminuindo a receita gerada por petróleo e metais de base, de acordo com relatório divulgado pela Coalition na terça-feira. Já as transações dos bancos na área de metais preciosos tiveram desempenho "significativamente" melhor com o aumento da demanda por parte de investidores, segundo o estudo. A empresa sediada em Londres não forneceu maior detalhamento.

A receita combinada gerada em transações com matérias-primas diminuiu 18 por cento para US$ 4,6 bilhões no ano passado, a menor quantia em mais de uma década e cerca de dois-terços abaixo do pico de ganhos dos bancos em 2008. As instituições financeiras enxugaram ou eliminaram negócios com commodities nos últimos anos por causa da maior supervisão regulatória e da diminuição dos investimentos por hedge funds e outros grandes negociadores de ativos.

O Morgan Stanley vendeu a unidade de comércio de petróleo para a Castleton Commodities International LLC e deixou de negociar metais de base no ano passado. O JPMorgan vendeu parte da operação de commodities físicas para a Mercuria Energy Group em 2014.

A empresa de análises acompanha atividades com energia, gás, petróleo, metais, carvão e produtos agrícolas. Os outros bancos incluídos na pesquisa da Coalition foram Morgan Stanley, Bank of America Merrill Lynch, Barclays, BNP Paribas, Citigroup, Société Générale, Credit Suisse Group, Deutsche Bank, UBS Group e HSBC Bank.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos