Bolsas

Câmbio

Sinais de aperto pelo Fed embalam compra de títulos japoneses

Kevin Buckland e Shigeki Nozawa

(Bloomberg) -- Comentários indicativos de aperto monetário pelo Federal Reserve estão proporcionando lucros maiores a fundos globais que compram títulos do governo japonês com rendimento negativo. Isso depois dos contratos de swap de moedas fazerem a devida mágica.

Ao aderir a um contrato de swap de moedas na compra de bônus soberanos do Japão, investidores com contas em dólar podem obter um cupom fixo equivalente a 2,25 por cento, no caso de um título com prazo de cinco anos e rendimento nominal de menos 0,22 por cento, de acordo com cálculos da Bloomberg. Esse ganho é aproximadamente 80 pontos-base maior do que o obtido com papéis do Tesouro americano de prazo equivalente. Quem investe em dólares passou a obter desconto maior para tomar recursos em ienes depois que integrantes do banco central americano -- incluindo o responsável pelo escritório regional da instituição em Nova York, William Dudley -- alimentaram especulações de que a taxa básica de juros dos EUA vai subir já em junho.

A popularidade dos contratos de swap desse tipo entre grandes especuladores, como hedge funds, se revelou nos dados da Associação de Corretoras de Valores Mobiliários do Japão. De acordo com esses números, no mês passado, os estrangeiros compraram a maior quantia em títulos do governo japonês de médio prazo desde setembro de 2014, enquanto venderam títulos de prazo muito longo. Já os bancos e as seguradoras locais estão sendo empurrados para prazos cada vez mais longos ou para o exterior, uma vez que o afrouxamento da política monetária pelo Banco do Japão derrubou para território negativo o rendimento das dívidas que vencem em até uma década.

'Operação fácil'

"É o pior ambiente de investimento para investidores japoneses, mas para investidores estrangeiros que podem usar os basis swaps, é uma operação fácil até para quem quiser manter os títulos do governo japonês de cinco anos em carteira até o vencimento", disse Shuichi Ohsaki, estrategista-chefe de juros do Bank of America Corp. Merrill Lynch, em Tóquio. "Enquanto o iene se fortalece no mercado à vista, praticamente não há demanda para o iene no mercado de swaps."

O desconto oferecido para tomar empréstimos em ienes para quem trabalha em dólares chegou a 91 pontos-base em 19 de maio, o maior em um mês, após Dudley declarar que uma elevação da taxa básica de juros nos EUA em junho ou julho "é uma expectativa razoável". O comentário reforçou sinais contidos na ata da reunião do comitê de política monetária de 26 e 27 de abril, divulgada na quarta-feira.

Já em 3 de maio, responsáveis por escritórios regionais do Fed -- incluindo Dennis Lockhart, de Atlanta, e John Williams, de São Francisco -- indicaram que a situação da economia americana poderia viabilizar um aumento de juros na reunião que ocorrerá em 14 e 15 de junho. Esses comentários ajudaram a ampliar o desconto nos contratos de swap. O desconto vinha do menor nível em três meses de 82 pontos-base, atingido em 28 de abril, em reação à decisão do comandante do Banco do Japão, Haruhiko Kuroda, de não aumentar os estímulos monetários.

Na segunda-feira, o mercado de juros futuros sinalizava probabilidade de 54 por cento de elevação da taxa básica de juros dos EUA em julho, a partir do atual intervalo de 0,25 por cento a 0,5 por cento. Foi a primeira vez desde março que a probabilidade passou de 50 por cento. No começo do mês, a chance chegou a ser calculada em apenas 15 por cento.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos