Bolsas

Câmbio

Banco Africano de Desenvolvimento vê países longe crise dívida

Matthew Hill

(Bloomberg) -- A África está longe de enfrentar uma crise de dívida, mesmo que os empréstimos comerciais para o continente estejam subindo e Moçambique tenha se transformado no primeiro país do continente a deixar de pagar um empréstimo em dólares neste ano, segundo o diretor do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD).

Os níveis de dívida dos 54 países do continente são de, em média, 17 por cento a 18 por cento do PIB, um nível baixo, disse Abebe Shimeles, diretor em exercício do departamento de pesquisa e desenvolvimento do BAD, nesta quinta-feira, em entrevista na reunião anual do banco, em Lusaka, capital da Zâmbia.

"Em termos de continente não estamos nem perto, esqueça qualquer crise. Não estamos nem perto de ter uma dívida pesada, especialmente dívida externa", disse Shimeles. "Este não é um problema sistêmico no momento. Não é que todos os países africanos estejam expostos a uma crise de dívida. A notícia ruim às vezes é ouvida mais rapidamente que a notícia boa".

Pagamentos caros

Os países do continente captaram US$ 26 bilhões em eurobonds de 2006 a 2014 e mais US$ 12 bilhões no ano passado, disse o presidente do BAD, Akinwumi Adesina, em 24 de maio, quando abriu oficialmente as reuniões, alertando que é preciso evitar uma crise de dívida. Enquanto a dívida em moeda estrangeira aumentou, as moedas do continente perderam força, tornando os pagamentos mais caros em meio à desaceleração do crescimento econômico.

"Alguns países também experimentaram uma alta em seus níveis de dívida que pode ser preocupante em casos particulares, a menos que adotem medidas de contenção", disse Shimeles. "O BAD e outros bancos credores multilaterais podem aprender com os equívocos do passado e oferecer realmente uma solução para gerenciar a dívida, para reestruturá-la e também realizar algumas reformas necessárias antes de atingirmos o nível de crise".

O banco estudaria ajudar os países que pedirem auxílio e poderia trabalhar com outros credores, como o Fundo Monetário Internacional, disse ele. A Nigéria já está negociando com o BAD uma linha de crédito de US$ 1 bilhão.

Expansão econômica

O crescimento do continente provavelmente excederá os 4,5 por cento que o BAD projetou para 2017 em um relatório publicado nesta semana, disse Shimeles. A demanda doméstica da Etiópia, da Nigéria e do Sudão levarão a uma expansão econômica "muito maior", disse ele.

"Eu acredito que a Nigéria, agora, adotou as medidas corretas em termos de macroeconomia", disse ele.

Neste mês, a maior economia da África reduziu subsídios aos combustíveis e sinalizou uma política cambial mais flexível para o naira, que está atrelado ao dólar há 15 meses.

"Estamos otimistas", disse Shimeles. "Contudo, isso não significa que negamos as dificuldades. Elas são grandes, mas eu acho que as economias são resilientes".

Título em inglês: African Development Bank Says Continent Far From Debt Crisis

Para entrar em contato com o repórter: Matthew Hill Lusaka, mhill58@bloomberg.net, Para entrar em contato com os editores responsáveis: Telma Marotto tmarotto1@bloomberg.net, Patricia Xavier

©2016 Bloomberg L.P.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos