Bolsas

Câmbio

Traders apostam em rali de eurobonds da Rússia

Natasha Doff e Lyubov Pronina

(Bloomberg) -- Enquanto alguns investidores se decepcionaram com o retorno da Rússia, afetada por sanções, ao mercado de eurobonds, outros veem o estigma político do país como uma oportunidade de compra.

A ING Groep projeta que os papéis terão um rali porque é só questão de tempo até eles serem admitidos pelo Euroclear Bank, cuja decisão de não liquidar a transação de US$ 1,75 bilhão impediu que muitos fundos grandes participassem. Os títulos subiram nesta sexta-feira no primeiro dia de trading e levou os yields de 4,75 por cento na emissão para 4,51 por cento e o ING vê potencial para uma maior convergência com a dívida soberana.

Os eurobonds se transformaram no último cenário das tensões entre a Rússia e seus antigos inimigos na Guerra Fria. Nesta semana, o ministro das Finanças da Rússia acusou o Departamento de Estado dos EUA de interferir deliberadamente na decisão das câmaras de compensação internacionais. Embora a falta de eligibilidade tenha frustrado a realização da transação, alguns investidores estrangeiros conseguiram superar os obstáculos mediante contas com o depositário doméstico do país.

"Investidores como nós, com a infraestrutura para comprar o título, vimos isso como uma oportunidade", disse Pavel Mamai, um dos fundadores da Promeritum Investment em Londres, um hedge fund criado no ano passado em Londres que administra US$ 150 milhões. "Quando o Euroclear começar a liquidar o papel, outros poderão comprar e o diferencial se reduzirá".

Acusação

A objeção aos títulos do governo russo feita pelo Euroclear não tem base sólida porque o soberano não está sujeito às penalidades impostas em 2014 a Moscou pelo conflito na Ucrânia, segundo Dmitry Polevoy, economista-chefe do ING para a Rússia em Moscou, que recomenda os títulos aos clientes.

"Sob uma perspectiva técnica, não vemos nenhum obstáculo para que o Euroclear permita o trading", disse Polevoy. "Este caso trata principalmente de política e da pressão política por causa de certos temores do Euroclear de que possa haver consequências para eles. Mas isso significa que sua independência é questionada".

Investidores estrangeiros

Mais de 70 por cento da venda foi colocada com investidores estrangeiros e os principais compradores vieram do Reino Unido, segundo o Ministério das Finanças da Rússia. Atualmente, investidores estrangeiros só podem comprar o título novo se tiverem uma conta com o Depositário Nacional de Liquidações da Rússia. A maioria dos detentores de títulos não tem contas porque normalmente a dívida soberana russa também é acessível através do Euroclear.

O VTB Capital, braço de investment banking do VTB Group, o credor sancionado que foi o único administrador da transação, disse que ainda está negociando com o Euroclear para tentar conseguir que o título seja aceito.

"Acreditamos que a questão da possibilidade de compensação pelo Euroclear provavelmente será resolvida", disse Polevoy do ING. "Se isso acontecer, a demanda por esse título no mercado secundário será muito alta".

Título em inglês: Russian Eurobond Not Such a Flop to Some as Traders Bet on Rally

Para entrar em contato com os repórteres: Natasha Doff em Londres, ndoff@bloomberg.net, Lyubov Pronina em Londres, lpronina@bloomberg.net, Para entrar em contato com os editores responsáveis: Telma Marotto tmarotto1@bloomberg.net, Patricia Xavier

©2016 Bloomberg L.P.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos