Bolsas

Câmbio

Investidores globais terão dose dupla de papéis chineses

Fox Hu

(Bloomberg) -- Investidores globais estão prestes a receber uma dose dupla dos papéis chineses que proporcionaram certa proteção da derrapada das bolsas do país.

Os recibos de ações negociados no mercado dos EUA (American Depository Receipts ou ADRs) de Alibaba Group Holding Ltd. e outras 12 empresas terão seu valor pleno incluído nos índices da MSCI a partir do fechamento das bolsas na terça-feira. Há seis meses, metade do valor de mercado dos papéis em circulação foi acrescentado aos índices. Na média, esses papéis caíram 5,6 por cento entre aquela ocasião e a semana passada, enquanto o índice MSCI China perdeu 8,1 por cento. As perdas foram ainda maiores no continente e o índice Shanghai Composite levou um tombo de 18 por cento, o segundo pior desempenho no mundo.

As mudanças nos índices darão aos chamados investidores passivos parcelas maiores nos setores de tecnologia e serviços da China e participações menores em empresas estatais industriais e gigantes do setor financeiro, espelhando as intenções das autoridades para a economia. A MSCI decidirá no mês que vem se incluirá também ações do tipo A negociadas em bolsas do continente. Segundo Tobias Bland, CEO da Enhanced Investment Products, uma gestora de fundos negociados em bolsa (exchange-traded funds, ou ETFs), a mudança desta terça-feira colocará ADRs nas mãos de um grupo mais amplo de investidores, que estarão dispostos a pagar múltiplos maiores pelos papéis.

"Os investidores estão atribuindo múltiplo baixo por causa do risco-China", disse Bland. "Para eles, o risco-China é provavelmente muito maior do que para as pessoas de Hong Kong ou Cingapura. Agora, com a inclusão pela MSCI, a esperança é que um número bem maior de investidores globais conseguirá comprar os papéis como parte de seu mandato."

A BlackRock, que administra o maior ETF que acompanha o índice MSCI Mercados Emergentes, ampliou os investimentos em papéis de empresas chinesas negociados nos EUA em 500 por cento após a inclusão dos ADRs pela MSCI em novembro. As companhias chinesas foram as maiores beneficiárias da abordagem revisada da instituição, que ampliou medidas de referência de mercados nacionais para incluir empresas com listagem primária fora de casa.

O índice MSCI China subiu 0,9 por cento na terça-feira e fechou na maior pontuação em quatro semanas em Hong Kong. A Tencent Holdings Ltd., que tem o maior peso no indicador, teve alta de 2 por cento e bateu recorde.

'Catalisador positivo'

As cotações dos principais ADRs avançaram com a aproximação da data em que ganharão maior peso no MSCI China. A Alibaba disparou 3,3 por cento na sexta-feira, reduzindo a queda acumulada em 2016 para menos de 1 por cento e quase eliminando a perda amargada após a gigante de comércio eletrônico ter revelado ser alvo de uma investigação regulatória. A companhia atualmente representa 4,4 por cento do índice. A Baidu Inc. deu um salto de 8,8 por cento na semana passada e reduziu a perda no ano para 2,1 por cento.

Investidores ativos podem estar comprando papéis em antecipação aos ganhos desencadeados pelas mudanças nos índices da MSCI, acredita Chi Tsang, responsável por pesquisa de empresas de internet da Ásia para o HSBC Holdings Plc, em Hong Kong.
"Há um descasamento entre os preços dos ADRs e seus fundamentos", disse Tsang. "A inclusão é um catalisador positivo."

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos