Fed deve decidir patamar mínimo para projeção de desemprego

Jeanna Smialek

(Bloomberg) -- Qual é o piso permitido? Esta é uma questão tópica que será tratada na reunião do Federal Reserve, em Washington, nesta semana.

Os integrantes do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc) projetaram em março que o nível de desemprego cairia para 4,7 por cento no quarto trimestre e se recuperaria para 4,8 por cento a longo prazo. Mas a taxa já atingiu a projeção feita por eles para o fim do ano e, com isso, muitos economistas preveem que o comitê revisará sua mediana de estimativas para baixo no sumário de projeções econômica do Fomc, que será divulgado em 15 de junho.

A redução das estimativas pode dar uma ideia do estado de espírito da cúpula do Fed. A seguir, explicamos como as projeções poderiam mudar -- e como interpretar qualquer alteração.

Projeções inalteradas

Se a cúpula do Fed mantiver sua projeção para o desemprego, isso provavelmente sinalizará a crença de que aqueles que abandonaram o mercado de trabalho voltarão a procurar emprego. Isto estabeleceria um piso para a queda da taxa, porque os novos candidatos aos empregos contarão como desempregados. "Muitos deles provavelmente pensam que a taxa de participação no mercado de trabalho responderá diminuindo os declínios da taxa de desemprego no futuro", disse Neil Dutta, chefe da Renaissance Macro Research para a economia dos EUA em Nova York.

Redução da projeção de curto prazo

Os membros do comitê poderiam reduzir a estimativa de desemprego de 2016 para 4,6 por cento ou 4,5 por cento, o que seria "uma certa avaliação de mercado", disse Millan Mulraine, vice-diretor de pesquisa e estratégia para os EUA da TD Securities em Nova York. Se o Fed reduzir sua estimativa para 2016 ainda mais sem mudar a estimativa de longo prazo, isso sinalizaria que o banco central americano acredita na queda do desemprego neste ano para uma taxa bastante abaixo do nível correspondente a uma inflação estável nos próximos cinco a seis anos.

A redução da projeção de desemprego de curto prazo muito além da estimativa de taxa neutra sem um aperto da política monetária - pressupondo que o Fed não eleve os juros -- poderia sinalizar o compromisso de manter o mercado de trabalho aquecido. A presidente do Fed, Janet Yellen, indicou que o banco central americano estaria aberto a fazer isso, mas a taxa de desemprego real sempre esteve acima da projeção de longo prazo do Fed. Esta reunião seria o ponto de inflexão.

Queda a longo prazo

É possível também que o Fed deixe o número de 2016 inalterado -- provavelmente por causa da desistência de mão de obra pontuada acima -- e reduza sua projeção para a taxa de longo prazo. Esta é a expectativa de Tom Porcelli, do RBC Capital Markets, nesta reunião ou em algum próximo encontro do Fed deste ano. "A tendência geral que eles estão exibindo é a de continuar reduzindo", disse Porcelli.

Redução de todas as projeções

O Fomc poderia reduzir suas estimativas de curto e de longo prazos. Isto sinalizaria que o comitê acredita que a taxa de desemprego pode cair mais -- e permanecer lá -- sem gerar um descontrole de salários nem inflar os preços. Uma ação desse tipo seria correspondente à tendência, porque tanto as estimativas de curto prazo quanto as de longo prazo vêm caindo nos últimos dois anos. Mas a maioria dos economistas acredita que existe um piso para a queda.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos