Humanos reagem em mercado acionário dominado por robôs

John Detrixhe

(Bloomberg) -- Talvez as máquinas estejam dominando o mundo, mas pelo menos em um canto dos mercados os seres humanos estão derrotando os robôs.

Há demanda por traders como Samantha Huggins, do Citigroup, porque eles estão demonstrando ser mais competentes que os programas de computador para operar grandes grupos de ações, transação conhecida como "block trade". Embora encontrar um comprador ou um vendedor e concluir uma transação pelo telefone seja mais caro no começo, Huggins diz que os 18 anos que ela passou navegando pelos mercados lhe dão vantagem para evitar as armadilhas de permitir que um software corte a operação em pequenas porções no decorrer de horas ou de um dia inteiro.

"No fim das contas, as negociações de vendas reduzem os custos de negociação deles", disse Huggins, diretora administrativa do banco, em uma sala de conferências no pregão do Citigroup em Canary Wharf. "Se isso não reduzisse os custos de negociação dos investidores, nós seríamos um bando de dinossauros".

Por enquanto, o nicho deles está ressurgindo em meio a uma avalanche de evolução tecnológica. Na Europa, a execução de ações particulares por traders subiu para cerca de 51 por cento - o primeiro incremento nesta década, segundo a Greenwich Associates. Nos EUA, a taxa é de 55 por cento. E eles são cada vez mais. Os bancos vêm aumentando a contratação de traders "high touch" nos últimos seis a oito meses, diz a empresa de recrutamento Armstrong International. É algo especialmente notável considerando que os bancos nos EUA e em toda a Europa eliminaram dezenas de milhares de empregos só nos últimos anos.

Perigos

O processamento de uma operação enorme apresenta perigos. Os programas algorítmicos de negociação tentam evitar ser detectados partilhando as operações aos poucos, mas os traders se tornaram mais competentes para farejar esses padrões e impulsionam os preços no sentido contrário. Outro risco é que a notícia se espalhe, o que faz com que o valor das ações se torne desvantajoso antes que a transação seja concluída. Esses riscos são o motivo pelo qual grandes investidores preferem evitar erros caros e estão dispostos a pagar comissões mais altas para realizar uma grande operação de vez.

Os chamados traders "high touch", como Huggins, são especialistas nessas transações, e espera-se que eles saibam tudo sobre seus clientes, inclusive o que há nas carteiras de valores deles, como eles gostam de fazer transações e quais tipos de notícias são importantes para eles.

Os corretores de primeira linha também sabem onde encontrar colegas. Preocupações globais, como a Brexit, assustaram os gerentes de portfólio e fizeram com que eles se retirassem do mercado em níveis não vistos em mais de 14 anos. Um algoritmo não pode encontrá-los, mas talvez um trader astuto consiga.

Para os clientes, as comissões de um trader robótico podem ser mais baixas, e algumas estimativas calculam que elas são de apenas 3 pontos-base. Um trader pode cobrar comissões de 7 pontos-base ou mais. Para um pedido de US$ 250 milhões, essa diferença entre as taxas de comissões poderia ser de US$ 100.000.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos