Bolsas

Câmbio

Para economia da China, Brexit é fator negativo ou oportunidade

Bloomberg News

(Bloomberg) -- Depois que o voto do Reino Unido para sair da União Europeia sacudiu os mercados internacionais, os economistas estão tentando descobrir qual é a melhor forma de medir o possível impacto sobre a China. As perspectivas vão de cenários pessimistas, como uma contaminação que enfraquece o yuan ou prejudica as exportações, a otimistas, onde a China emerge como um refúgio seguro em meio à tempestade.

Veja a seguir o que alguns analistas da China estão dizendo.

'Movimentos drásticos'

Luke Spajic, chefe de gestão de carteira para a Ásia emergente da Pimco em Cingapura:

"O fator mais preocupante é a demanda global, especialmente com a queda tão drástica da demanda por exportação durante o ano passado. A moeda se desvalorizou notavelmente nos últimos meses. Projetamos que o enfraquecimento da moeda vai continuar. Os responsáveis pela política econômica da China gostam muito de suprimir a volatilidade, então a resposta aos movimentos drásticos nos mercados internacionais será uma tentativa de abafá-los".

"A China deveria ver isso como uma chance de acentuar seu papel como membro da equipe internacional, buscando uma coordenação com outros responsáveis pela política econômica em termos de provisão de liquidez e diálogo elevado".

'Pressão nova e enorme'

Kenneth Courtis, ex-vice-presidente do conselho para a Ásia do Goldman Sachs Group e atual presidente do conselho da Starfort Holdings:

"As exportações vão enfraquecer porque todo o resto do mundo, os principais mercados, vão enfraquecer. Isso vai exercer uma nova e enorme pressão sobre a economia da China como um todo, sobre o setor de produção fabril. O Banco Popular da China terá que adotar uma política monetária ainda mais flexível. Se o Japão desvalorizar, o que a Coreia vai fazer? Será que vai sentar e esperar? O que Taiwan vai fazer? Será que vai sentar e esperar? Estamos enfrentando uma reação em cadeia radioativa em termos políticos e econômicos".

'Refúgio seguro'

Stephen Jen, um dos fundadores da SLJ Macro Partners em Londres e ex-economista do FMI:

"O Banco Popular da China deverá permitir que o renminbi se desvalorize com o dólar. Esse era o propósito de adotar esse regime de cesta de referência, lidar com situações como essa. Pessoalmente, não estou convencido de que o comércio ou o crescimento mundial seria prejudicado por Brexit. Os preços dos ativos poderiam sofrer pressão, mas os bancos centrais podem tomar medidas coordenadas para combater isso. Na verdade, acho que a China poderia ser o refúgio seguro".

'Contaminação prejudicial'

Geoffrey Yu, estrategista cambial do UBS Group em Londres:

Para a China, a votação do Reino Unido terá "muitos aspectos negativos se a contaminação prejudicar mais os mercados emergentes, através da transmissão cambial ou de outros canais".

Brexit oferece uma oportunidade de fortalecer a relação entre o Reino Unido e a China, "e o Reino Unido vai querer garantir acordos comerciais favoráveis após a saída".

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos