Bolsas

Câmbio

Saudi Aramco lidera alta em empréstimos após queda do petróleo

Mohammed Aly Sergie

(Bloomberg) -- A Saudi Arabian Oil está liderando o aumento dos empréstimos às empresas do setor de energia do Oriente Médio. Elas estão recorrendo ao dinheiro de bancos e investidores depois que a queda dos preços do petróleo reduziu sua capacidade de investir em exploração e produção.

As produtoras de energia do Conselho de Cooperação do Golfo, formado por seis países, mais que dobraram seus empréstimos no segundo trimestre em relação ao ano anterior, para US$ 8,9 bilhões, maior volume em 15 meses, mostram dados compilados pela Bloomberg. A Yanbu Aramco Sinopec Refining (joint venture entre a Saudi Arabian Oil, conhecida como Aramco, e a China Petroleum & Chemical) foi a que mais tomou empréstimos, com US$ 4,7 bilhões para refinanciamento. Os números englobam o crédito concedido a empresas envolvidas na exploração, na produção e no refino de petróleo, assim como as de processamento e serviços de gás natural.

Os empréstimos aumentaram porque empresas estatais como a Kuwait National Petroleum tiraram vantagem da queda dos juros. O J.P. Morgan Middle East Composite Index, que calcula o yield da dívida da região e é um indicador das taxas de empréstimos, está no nível mais baixo desde novembro de 2015.

O petróleo mais barato encolheu as receitas das petroleiras. O contrato Brent de referência atingiu o menor nível em 12 anos em janeiro, de US$ 27,10 o barril, contra mais de US$ 100 por barril há dois anos. As empresas de energia sauditas tomaram US$ 23,1 bilhões emprestados nos últimos 18 meses, tanto quanto os US$ 23,4 bilhões que tomaram emprestados em todos os oito anos anteriores.

"É a economia que está levando essas empresas a tomarem empréstimos, principalmente por causa da baixa receita com o petróleo e da necessidade maior de repassar mais receitas para os tesouros de cada país", disse John Sfakianakis, diretor de pesquisa econômica do Centro de Pesquisa do Golfo, em entrevista por telefone, de Riad. "Antigamente, as petroleiras nacionais tinham receita suficiente para financiar investimentos para manter a capacidade existente e também para repassar uma quantia significativa do dinheiro ao tesouro".

A Kuwait National Petroleum tomou US$ 4 bilhões em empréstimos no segundo trimestre para financiar projetos de combustíveis limpos e para finalidades corporativas gerais, e a Emirates National Oil, de Abu Dhabi, completou a lista de tomadoras de empréstimos do setor de energia no período captando US$ 230 milhões para finalidades corporativas. Os US$ 8,9 bilhões em crédito para o Oriente Médio registrados de abril a junho representam a terceira maior quantia de qualquer trimestre registrada nos dados compilados pela Bloomberg desde 1996 após o recorde de US$ 18,4 bilhões no primeiro trimestre de 2015, quando a Aramco tomou US$ 10 bilhões para refinanciamento e finalidades corporativas gerais.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos