Para Gross, títulos soberanos com rendimentos baixos são arriscados

Wes Goodman

(Bloomberg) -- Bill Gross disse que títulos soberanos com rendimentos em recorde de baixa não valem o risco.

"Os títulos soberanos não são minha praia", disse Gross, que formou o maior fundo de renda fixa do mundo na Pacific Investment Management Co. e agora está na Janus Capital Group, que tem sede em Denver, à Bloomberg TV, na quarta-feira. "É arriscado demais". Com os rendimentos baixos, os títulos ficam especialmente vulneráveis porque um pequeno aumento pode trazer um grande declínio no preço, disse ele.

Na quarta-feira, os rendimentos atingiram mínimas históricas nos EUA, no Reino Unido e na Austrália, enquanto os rendimentos dos títulos da Alemanha e do Japão caíram a inéditos níveis abaixo de zero. O rendimento médio sobre os títulos do índice World Sovereign Bond, do Bank of America, caiu nesta semana para menos de 1 por cento pela primeira vez, segundo dados coletados desde 2006, em um momento em que quase US$ 10 trilhões em títulos do índice Bloomberg Global Developed Sovereign Bond estão rendendo menos que zero.

Os títulos estão subindo com a especulação de que a decisão do Reino Unido, em referendo, de deixar a União Europeia abaterá o crescimento econômico global, desviando a demanda para os ativos mais seguros. O Federal Reserve está perdendo a confiança em sua necessidade de elevar as taxas de juros no momento em que a cúpula do banco central americano enfrenta uma incerteza crescente quanto à perspectiva para o crescimento dentro e fora do país, indicam a ata de sua última reunião, divulgada na quarta-feira.

Os rendimentos das notas de 10 anos do Tesouro dos EUA mostravam pouca mudança, em 1,38 por cento às 6h50 em Nova York, segundo dados da Bloomberg Bond Trader. A mínima recorde estabelecida na quarta-feira foi de 1,318 por cento. A nota com rendimento de 1,625 por cento e com vencimento em maio de 2026 estava 102 1/4.

'Supernova' dos yields

O Janus Global Unconstrained Bond Fund, administrado por Gross, deu retorno de 3,5 por cento neste ano, desempenho superior ao de 78 por cento de seus pares, segundo dados compilados pela Bloomberg. O fundo mantinha menos de 1 por cento de seus ativos em títulos soberanos no final de abril, mostram os dados.

Gross alertou há quase um mês que as políticas dos bancos centrais que levaram trilhões de dólares em títulos ao território negativo sairão pela culatra mais cedo ou mais tarde e de forma violenta. "Isto é uma supernova que algum dia explodirá", escreveu ele no Twitter.

Os títulos australianos de 10 anos rendiam 1,87 por cento, contra uma mínima recorde de 1,84 por cento, depois que a S&P Global Ratings rebaixou a perspectiva para a classificação AAA do país de estável para negativa porque o resultado pouco claro da eleição federal do fim de semana prejudicou as perspectivas para a redução do déficit orçamentário.

A demanda por dívidas soberanas está diminuindo após a queda dos rendimentos, disse Kazuaki Oh'E, chefe de renda fixa da CIBC World Markets Japan em Tóquio.

"Se você tem títulos do Tesouro dos EUA na sua lista, você tem muita sorte", disse Oh'E. "Você pode desfrutar dos lucros e mudar para empresas ou para outros produtos. Não há forma de investir em rendimentos negativos" na Europa ou no Japão, disse ele.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos