Oi quer triplicar clientes de combos em meio à recuperação, diz presidente

Fabiola Moura

(Bloomberg) -- A Oi (OIBR3, OIBR4) está com foco em seus objetivos de fim de ano de triplicar número de assinantes de seus pacotes Oi Total, que incluem telefonia fixa e móvel, TV paga e internet, disse o presidente da empresa, Marco Schroeder, em entrevista na sede da empresa, no Rio.

A empresa planeja aumentar investimentos em 25% no ano, para R$ 5 bilhões, mesmo em meio à maior recuperação judicial da história do país.

A Oi está em dia com pagamentos a fornecedores e pretende se manter assim para poder garantir a prestação de serviços aos seus clientes, disse Schroeder em sua primeira entrevista presencial desde que assumiu o comando da operadora de telefonia, há um mês.

Em junho, a Oi total tinha 320 mil assinantes de seus pacotes Oi Total e pretende chegar a 1 milhão este ano, disse a empresa.

"Estamos trabalhando para que a recuperação judicial da Oi seja um case de sucesso", disse Schroeder. "Acionistas, credores, a Anatel, todo mundo quer manter uma operação saudável."

Mais dinheiro para investir

Em junho, a Oi entrou com pedido de recuperação judicial avaliado em R$ 65,4 bilhões por não conseguir chegar a um acordo com os credores. Como a empresa interrompeu o serviço de sua dívida, terá mais dinheiro para investir em seus negócios, disse Schroeder. A empresa planeja gastar R$ 5 bilhões este ano, em comparação com R$ 4 bilhões em 2015.

"Quanto mais tempo ficarmos em dia com nossos pagamentos, mais nossos fornecedores se sentirão seguros de que vamos continuar a pagar as nossas contas", disse Schroeder. A empresa continua discutindo com os credores e tem como objetivo apresentar um plano de recuperação para a justiça antes do prazo final de 60 dias úteis, disse ele.

Ele preferiu não comentar sobre um grupo de credores, assessorado pelo banco de investimentos Houlihan Lokey Inc., sediado em Nova York, que teria se formado para se opor aos planos de reorganização em discussão.

Problemas entre acionistas

A administração da Oi também está enfrentando críticas por parte de um dos seus maiores investidores sobre a composição do conselho da companhia.

A empresa tem até 15 de julho para responder a um pedido da Bridge Administradora de Recursos, de Nelson Tanure, para uma reunião de acionistas na qual seria discutida a saída de diretores que representam a Pharol SGP, holding portuguesa que é o maior acionista da Oi, segundo o site da empresa.

O prazo da Oi para apresentar um plano de recuperação pode ser estendido por causa dos Jogos Olímpicos, marcados para agosto, no Rio. Se a justiça estadual decidir não trabalhar durante os jogos, o prazo pode chegar a outubro.

Jovens ganham a vida com vídeos na internet

  •  

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos