PUBLICIDADE
IPCA
+0,25 Jan.2021
Topo

Cidades da China planejam áreas que podem abrigar 3,4 bi pessoas

Bloomberg News

15/07/2016 12h59

(Bloomberg) -- Novas áreas planejadas por pequenas cidades da China poderiam acomodar 3,4 bilhões de pessoas até 2030 -- quase metade da atual população mundial --, uma meta que até mesmo a imprensa estatal chinesa considera problemática.

Um relatório da Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma, a agência central de planejamento da China, apontou que cidades de pequeno e médio porte estavam planejando mais de 3.500 novas áreas que poderiam acomodar mais de duas vezes a população atual do país, de 1,4 bilhão. A população mundial é de 7,4 bilhões, segundo estimativa do censo dos EUA.

As descobertas foram detalhadas em uma análise da agência oficial de notícias Xinhua, que criticou as novas áreas planejadas, chamando o número de impraticável: "Quem vai morar nesses lugares? Este é um problema", diz o texto.

A expansão surge em meio a pedidos por urbanização do presidente Xi Jinping e do premiê Li Keqiang em um momento em que a China se prepara para a mudança de outras 100 milhões de pessoas do interior às metrópoles urbanas até o final da década.

As pessoas tendem a preferir mercados maiores com mais oportunidades e menos de um em cada 10 trabalhadores migrantes se mudaram para cidades pequenas no ano passado, segundo relatório da comissão nacional publicado em abril.

Mesmo sem as novas áreas, a China já conta com mais habitações do que necessita e as "cidades-fantasma" se proliferaram. A China construiu mais de 10 milhões de novas unidades por ano nos últimos cinco anos, superando a demanda estimada de menos de 8 milhões, segundo análise dos economistas Tom Orlik e Fielding Chen, da Bloomberg Intelligence.

Os planos de expansão foram obviamente irrealistas, segundo declaração atribuídas pela Xinhua ao presidente da Sociedade de Planejamento Urbano do Sul da China, Hu Gang. O planejamento excessivo foi impulsionado pelo desejo dos governos locais de lucros maiores com terrenos, disse Hu. As metas populacionais maiores podem ajudá-los a alocar mais terrenos para a construção.