China: loucura por dividendos sobrevive à queda de mercado

Zhang Shidong

(Bloomberg) -- Há uma negociação quente -- e desconcertante -- no moribundo mercado acionário da China: desta vez, são as pequenas empresas que estão pagando dividendos de ações.

Nos primeiros seis meses do ano, 239 membros do Shenzhen Composite Index anunciaram planos de pelo menos dobrarem seu número de ações em circulação com a emissão de ações extras, mostram dados compilados pela Bloomberg.

Esse ritmo pode ser equiparado apenas ao boom do mercado no começo de 2015. Os investidores estão recompensando essa prática: as ações das empresas subiram em média 20% desde a divulgação dos dividendos, em contraste com a queda de 12% do índice de Shenzhen neste ano.

O fato de os pagamentos de dividendos não terem nenhum impacto sobre a posição de capital, nem sobre o panorama de lucros de uma empresa pouco afeta sua popularidade em um mercado no qual os indivíduos respondem por cerca de 80% das negociações acionárias. Para Wang Chen, as bonificações têm um significado simbólico na China, que vai além do valor econômico.

"Os investidores acreditam que essas empresas têm maior probabilidade de cuidar bem dos acionistas", disse Wang, sócio da Xufunds Investment Management em Xangai. "Eles acham que a diretoria vai pressionar mais para aumentar o preço das ações e a capitalização de mercado".

Pedaços menores

Os dividendos de ações cortam a fatia que cada acionista tem da torta da empresa em pedaços menores, sem modificar o tamanho total da participação. Como os desdobramentos de ações, não há custo para a empresa e nenhum valor é transferido ao proprietário da ação -- a menos que essa medida provoque a entrada de novos investidores.

O exército de investidores individuais da China tem uma antiga preferência por ações com preços mais baixos. E os gigantes da indústria do país estão sendo espremidos porque o governo está reorientando a economia em torno dos serviços, o que leva os investidores a buscarem os bolsões restantes de crescimento dos lucros, concentrados nas ações de baixa capitalização.

s lucros para as empresas no quadro de Shenzhen de empreendimentos de pequeno e médio porte e no mercado ChiNext de startups aumentaram pelo menos 20% no primeiro trimestre, em comparação com uma queda de 2,5% das empresas estatais e de grande porte, de acordo com a Citic Securities.

Nem todos acham que essa estratégia seja inteligente. Chen Ruiming, estrategista da Huabao Securities em Xangai, afirma que o fato de os investidores visarem às empresas que pagam dividendos de ações é um jogo de especulação herdado dos primórdios dos mercados da China.

"Basicamente, pagar bônus não muda nada para as empresas", disse Chen. "O mercado da China simplesmente tem um histórico e uma tradição de especular com ações desse tipo".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos