Rússia domina mercado global de trigo após inundações na França

Manisha Jha e Anatoly Medetsky

(Bloomberg) -- Na corrida para fornecer trigo ao maior consumidor do mundo, a Rússia está levando o prêmio.

A Rússia superou os EUA como maior exportador do grão e respondeu pela maior fatia do trigo adquirido nos dois primeiros leilões desta temporada pelo Egito, que compra enormes quantidades de trigo para fornecer pão barato a seus cidadãos. Os traders sequer se preocuparam em oferecer grãos da França, que enfrenta preocupações relacionadas à má qualidade após grandes inundações neste ano.

Embora seja normal que os países próximos ao Mar Negro, como Ucrânia e Romênia, assumam a liderança no início da temporada e que as vendas francesas subam depois, a Rússia tem a vantagem do preço baixo, o que está impulsionando um rápido aumento de sua participação de mercado. A fraqueza do rublo, as ótimas condições climáticas e mais investimentos estão acelerando a recuperação da agricultura na Rússia, que já dura uma geração, e desbancando os produtores americanos, que foram os maiores vendedores de trigo do mundo por mais de cinco décadas.

Muito para vender

"Com os atrasos na colheita da França, os traders não estão dispostos sequer a olhar para o trigo francês no momento", disse Matt Ammermann, gerente de risco de commodities na corretora de futuros e opções INTL FCStone, em Plymouth, Minnesota. "O Mar Negro simplesmente tem muito para vender no momento e a qualidade está melhor do que a esperada".

A Rússia exportará um recorde de 25,5 milhões de toneladas na temporada que começou em julho, maior total do mundo pelo segundo ano seguido, estima o Departamento de Agricultura dos EUA (USDA, na sigla em inglês). A produção global subirá para um nível recorde pela quarta temporada seguida e os estoques nunca foram maiores, mostram dados do USDA. Os preços na Câmara de Comércio de Chicago, referência global, atingiram neste mês o nível mais baixo desde 2007.

O trigo para embarque nos portos do Mar Negro estava US$ 165 a tonelada na sexta-feira, segundo o Instituto de Estudos do Mercado Agrícola, em Moscou. É quase US$ 15 mais barato que o trigo francês com um mínimo de 11 por cento de conteúdo proteico para embarque no porto de Rouen, segundo dados da FranceAgriMer.

Em dois leilões neste mês, o Egito fechou a compra de 480.000 toneladas de trigo. Metade veio da Rússia e o restante foi fornecido por Ucrânia e Romênia. Na safra passada, a Rússia também liderou as vendas pela primeira vez em três anos.

Globalmente, a Rússia irá capturar cerca de 16 por cento do mercado de trigo, contra 14,4 por cento no ano passado, segundo a UkrAgroConsult, que tem sede em Kiev. A França provavelmente verá sua participação de mercado cair para 11 por cento, contra 12,1 por cento na temporada passada, disse a empresa de pesquisa. A participação dos EUA subirá com o aumento de sua produção, mas o nível de 14,9 por cento não será suficiente para conseguir o primeiro lugar, mostram dados do USDA.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos