Bolsas

Câmbio

Valorização do rublo deixa mercado ansioso com reação de Putin

Olga Tanas, Andrey Biryukov e Ksenia Galouchko

(Bloomberg) -- Agora que o presidente Vladimir Putin falou, o mercado se pergunta o que a Rússia vai fazer em relação à valorização do rublo.

"O rublo está se fortalecendo apesar da volatilidade dos preços nos mercados de commodities", disse Putin na terça-feira em uma reunião com o primeiro-ministro Dmitry Medvedev em Sochi, resort às margens do Mar Negro.

"É claro que precisamos pensar o que faremos, e como faremos, com esses fatores no futuro próximo". A moeda russa prolongou sua queda em relação ao dólar após os comentários de Putin e sofreu a maior desvalorização desde 24 de junho.

Os avanços do rublo pressionam o orçamento porque reduzem o valor do barril de petróleo na moeda local e privam o governo de receita em um momento em que ele enfrenta o maior déficit desde 2010.

Ao contrário de outras importantes economias emergentes, como o Brasil, onde o Banco Central intensificou os esforços para limitar a valorização do real desde março, o Banco da Rússia não compra moeda estrangeira há um ano e prometeu evitar intervenções a menos que as oscilações do rublo ameacem a estabilidade financeira.

"O mercado está com medo de perder o início do enfraquecimento do rublo", disse Alexei Egorov, analista da Promsvyazbank, com sede em Moscou, em entrevista por telefone. "Neste momento, o mercado teme que o banco central apareça com intervenções. A liderança do país compreende que precisa aumentar o preço do petróleo em rublos e, com o preço atual do petróleo, eles só podem fazer isso enfraquecendo o rublo".

O rublo e o real

O rublo é a moeda de melhor desempenho do mundo neste ano depois do real, com um avanço de mais de 16 por cento. A moeda se recuperou na quarta-feira após uma desvalorização de 1,1% no dia anterior. O rublo era negociado com alta de 0,5%, a 63,24 frente ao dólar, às 12h07 em Moscou.

Outra opção é que o banco central prolongue a flexibilização monetária depois do primeiro corte dos juros em quase um ano, realizado no mês passado.

Por enquanto, 20 dos 23 economistas consultados pela agência de notícias Bloomberg projetaram que a taxa básica continuará em 10,5% quando o banco central revisar o custo do crédito na próxima semana.

O banco central e o Ministério das Finanças não responderam a pedidos de comentário enviados por e-mail depois da declaração de Putin.

Flutuação livre

A presidente do banco central russo, Elvira Nabiullina, disse que a autoridade não tem planos de interferir no câmbio e atribuiu à sua flutuação livre para suavizar a contração econômica que já avança para o segundo ano.

Embora Putin tenha apoiado as políticas do banco central, o presidente elogiou a taxa de câmbio mais fraca por jogar uma boia para os produtores domésticos, em dificuldades, meses depois de o banco central passar para a flutuação livre no fim de 2014, uma medida que também ajudou a compensar perdas orçamentárias provocadas pela queda dos preços da energia.

As palavras de Putin podem indicar que "é possível acelerar a introdução da regra orçamentária e do mecanismo para retirar da economia o excesso de receita em moeda estrangeira", disse Oleg Kouzmin, economista-chefe para a Rússia da Renaissance Capital em Moscou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos