Bolsas

Câmbio

McDonald's oferece moradia para preencher vagas no Leste Europeu

Zoltan Simon

(Bloomberg) -- Mais famoso por empregos com salários baixos do que por pacotes generosos de incentivos, o McDonald's enfrenta uma escassez de mão de obra tão terrível na Hungria que está oferecendo moradia gratuita a pessoas de outras cidades que queiram fazer hambúrgueres.

A moradia -- um benefício raro nos mais de 100 países onde a gigante do setor de comida rápida vende o Big Mac e o McLanche Feliz -- é apenas uma das vantagens que os empregadores estão oferecendo para preencher as vagas no Leste Europeu. Entre outros que vêm recebendo incentivos estão caixas dos supermercados da Lidl em Praga e desenvolvedores de software em Bucareste.

Antigamente considerada uma terra de mão de obra barata e abundante, a região se tornou uma dor de cabeça para os empregadores. O envelhecimento das populações, uma aversão à imigração maciça e o êxodo de milhões de pessoas para países europeus mais ricos deixaram milhares de vagas não preenchidas e provocaram um aumento dos salários. Isso significa custos maiores para as empresas e a ameaça de uma redução do investimento em economias que prosperaram desde que entraram na União Europeia.

"A falta de mão de obra é o que tira o sono dos executivos de todo o Leste Europeu", disse Robert Bencze, diretor da unidade de consultoria em recursos humanos da PricewaterhouseCoopers em Budapeste, citando uma pesquisa anual da PwC. "A primeira pergunta que os investidores se fazem agora antes de vir para cá é 'será que eu vou conseguir um número suficiente de funcionários para fazer a minha empresa funcionar?'".

A escassez de trabalhadores está piorando a um ritmo alarmante. O número de vagas não preenchidas aumentou 166 por cento nos últimos dois anos para cerca de 110.000 na República Tcheca, onde o nível de desemprego é um dos mais baixos da UE. Essa proporção triplicou nos últimos 12 meses na Letônia e dobrou desde dezembro na Polônia.

Na tentativa de preencher as vagas abertas, o McDonald's publicou anúncios neste ano em jornais húngaros oferecendo moradia gratuita, onde os funcionários só precisariam pagar as contas dos serviços. A empresa com sede em Oak Brook, Illinois, EUA, recusou diversos pedidos de comentários além do comunicado à imprensa publicado em maio.

A escassez de trabalhadores não se restringe ao setor de restaurantes.

A Lidl, que opera supermercados, aumentou em um quarto os salários na República Tcheca e em um quinto na Hungria. Os engenheiros de software da Romênia estão sendo bombardeados com vouchers de academias e spas.

A diminuição da oferta de mão de obra coloca em risco a entrada de investimentos estrangeiros, que ajudaram a impulsionar países que eram comunistas, como Polônia e Eslováquia, para taxas médias de crescimento anual de cerca de 4 por cento após a adesão à UE em 2004, mais do que o dobro do ritmo dos pares ocidentais. A Hungria perdeu recentemente um projeto do setor automotivo por causa da falta de mão de obra, disse o ministro da Economia, Mihály Varga, à revista Figyelo em agosto, sem identificar a empresa.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos