Bolsas

Câmbio

Selfies e aparelhos de vestir transformam peregrinação a Meca

Vivian Nereim e Nour Al Ali

(Bloomberg) -- Perdido em Meca, Tarek AlZubair vagou pela cidade sagrada do Islã por 15 minutos há alguns meses. Ele não conseguia encontrar um local para realizar os rituais de limpeza exigidos antes da oração.

Não havia informação disponível na internet e a que havia estava incompleta. "Eu pensei: por que não pode haver um método melhor?", disse AlZubair, 25. Por isso, ele correu para desenvolver um aplicativo, lançado na quarta-feira, que serve de guia para o Hajj, a peregrinação a Meca, que começa nesta semana.

A tecnologia está transformando de tal modo o ritual de mais de mil anos que está tornando as tradições do Islã mais acessíveis, mas também está confundindo os tradicionalistas, que abominam as selfies.

Os avanços tecnológicos estão ganhando uma importância maior após o tumulto do ano passado que matou pelo menos 769 pessoas. O governo saudita informou que está criando pulseiras que podem ajudar a identificar e a guiar os peregrinos como parte de uma "transformação digital" para melhorar os serviços.

Mais de um milhão de pessoas viajou à Arábia Saudita até o momento para realizar o Hajj, uma peregrinação anual que começa nesta semana. Todo muçulmano que possui condição deve fazer a viagem pelo menos uma vez na vida.

O aplicativo de AlZubair, ou Wajibati - Hajj and Umrah, é um dos vários voltados aos peregrinos. Ele apresenta um guia passo a passo para o Hajj e o Umrah -- uma peregrinação de menor porte que pode ser realizada em qualquer momento do ano --, contatos de emergência, mapa de Meca que funciona com ou sem internet, lista de controle e outros recursos úteis (Wajibati significa "meu dever" em árabe).

"Isso não muda, de fato, o caráter religioso ou ritualístico do Hajj, apenas torna a vida mais fácil", disse Ali Khawaja, conselheiro universitário de AlZubair, que o ajudou a desenvolver o aplicativo. "Se você olhar para o Hajj de 50 anos atrás, o volume de pessoas que participavam era baixo comparado com o de agora".

Selfies

Os sauditas estão entre os mais ativos do mundo nas redes sociais, por isso o Snapchat e o Instagram estão repletos de imagens de Meca e do Hajj.

Os sauditas dizem que muitas vezes veem peregrinos usando seus telefones e tirando fotos ao realizarem rituais sagrados.

Após uma série de desastres fatais, o governo saudita disse que oferecerá braceletes eletrônicos aos peregrinos, com informações de identificação, como passaporte e detalhes do visto, além do lugar onde os peregrinos se hospedarão durante a passagem pelo país.

O aparelho de vestir será especificamente importante para os peregrinos que não falam árabe, reportou a agência oficial de notícias saudita. O jornal local Arab News informou que os aparelhos terão GPS e serão à prova d'água.

Mas muitos detalhes ainda não estão claros, como por exemplo se esses aparelhos são obrigatórios ou se serão distribuídos a todos os peregrinos neste ano. Não foi possível encontrar representantes do ministério do Hajj para comentar o assunto.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos