Fed está prestes a cometer um erro: Bloomberg View

Narayana Kocherlakota

(Bloomberg) -- Na semana que vem, as autoridades do Federal Reserve dos EUA terão uma reunião importante para debater se irão aumentar as taxas de juros. Façam o que fizerem, certamente será um erro.

Mais de sete anos após o começo da recuperação em meados de 2009, a inflação continua abaixo da meta de 2 por cento do banco central, fato que indica que a economia ainda opera abaixo do potencial. Em julho, os preços ao consumidor subiram apenas 0,8 por cento em relação ao ano anterior. Excluindo os preços voláteis de alimentos e produtos de energia e serviços, eles cresceram 1,6 por cento.

Pior ainda, os mercados parecem estar perdendo a confiança de que o Fed um dia atingirá sua meta: os rendimentos dos títulos do Tesouro dos EUA sugerem que os traders projetam uma média de inflação inferior a 2 por cento daqui a cinco ou dez anos. Conforme apontado pela experiência do Banco do Japão, não é fácil recuperar essa confiança.

O Fed também não está atingindo sua meta de "máximo" emprego. Embora a taxa de desemprego tenha voltado ao patamar de 5 por cento em que estava em 2007, a quantidade de americanos com emprego em seus principais anos de trabalho continua bem abaixo do nível anterior à recessão.

Todos esses são argumentos para que o Comitê Federal de Mercado Aberto (FOMC, na sigla em inglês), o braço de criação de políticas do banco central, acrescente estímulo cortando um quarto de ponto percentual dos juros na reunião do dia 21 de setembro. Isto tem ainda mais importância porque a capacidade do Fed de reagir a novos choques é limitada, por causa de sua relutância em levar as taxas de juros para valores negativos e da grande quantidade de compras de papéis que já realizou. Então, a instituição deveria fazer tudo o que pode para garantir que a economia tenha saúde suficiente para aguentar o que vier.

Infelizmente, eu acredito que o Fed não reduzirá os juros. Fazer isso agora poderia exigir que as autoridades aumentem as taxas mais rapidamente no futuro - resultado que, por motivos que não são claros para mim, eles estão decididos a evitar.

Portanto, o banco central subirá os juros um quarto de ponto percentual ou não fará nada. A segunda opção parece mais provável porque dois diretores do Fed se expressaram a favor da cautela. A última vez que o Fed tomou uma medida da qual dois diretores divergiram foi em 1993. Em ambos os casos, será a medida errada.

Esta coluna não reflete necessariamente a opinião do conselho editorial ou da Bloomberg LP e de seus proprietários.

Título em inglês: The Fed Is About to Make a Mistake: Narayana Kocherlakota

Para entrar em contato com o repórter: Narayana Kocherlakota em N York, nkocherlako1@bloomberg.net, Para entrar em contato com os editores responsáveis: Telma Marotto tmarotto1@bloomberg.net, Patricia Xavier

©2016 Bloomberg L.P.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos