Stiglitz reprova Trump por impor riscos ao comércio com China

Enda Curran e Angie Lau

(Bloomberg) -- A economia dos EUA será muito prejudicada se Donald Trump for eleito presidente e impor novas tarifas às importações da China, de acordo com Joseph Stiglitz, vencedor do Prêmio Nobel.

O resultado final seria uma guerra comercial, além de um padrão de vida mais ajustado e uma perda líquida de empregos nos EUA, disse Stiglitz nesta segunda-feira (19), em entrevista à Bloomberg News, em Hong Kong.

Stiglitz, 73, foi presidente do Conselho de Assessores Econômicos de 1995 a 1997, tendo participado do gabinete de Bill Clinton quando ele era presidente dos EUA.

A seguir, confira trechos editados da entrevista:

Pergunta
Se Trump vencer a eleição e implementar novas tarifas para a China, qual seria o impacto econômico?

Resposta
As tarifas para a China provocariam duas consequências imediatas. A primeira é que os trabalhadores americanos que dependem dos produtos chineses de baixo custo veriam seu padrão de vida cair imediatamente. A probabilidade de que essas indústrias retornem aos EUA é muito baixa. Por outro lado, haveria retaliação.

A China teria o direito, conforme a Organização Mundial do Comércio, de impor retaliação contra a compra de todas as coisas que se compra dos EUA. Seria uma guerra comercial. A China faria isso apenas seletivamente, e é provável que mais empregos sejam destruídos do que criados. O efeito líquido sobre o nível de emprego seria negativo. Acho que os EUA sairiam perdendo.

Pergunta
Trump está levantando alguma preocupação válida em relação ao comércio com a China, ou ele só está exagerando?

Resposta
O que ele está identificando como um padrão é um temor ingênuo, e quando digo ingênuo, quero dizer equivocado, de que os estrangeiros possam vender a um preço mais baixo que o nosso. Ele ficaria mais feliz se eles tivessem outra taxa de juros e salários mais baixos?

Não, eles estariam vendendo seus produtos aos EUA. O comércio se baseia na vantagem comparativa, e nós perdemos vantagem comparativa em parte porque não temos uma boa política de manufatura. Ainda temos vantagem comparativa com a tecnologia de ponta.

Nenhum economista recomendaria analisar o comércio em termos bilaterais. Este é um sistema mundial de comércio, podemos comprar bens industrializados e ter um déficit comercial com a China, mas depois vendemos produtos em outros lugares, não se pode analisar isso de forma bilateral. Toda a estrutura com que ele analisa o comércio renderia um zero a um estudante de um curso básico de Economia.

Pergunta
Então você daria zero para ele?

Resposta
Zero. Ele simplesmente não entende muito de economia.

Pergunta
Se Trump for eleito, ele conseguiria aprovação para cumprir as promessas que fez, como as tarifas para a China?

Resposta
Todo mundo está falando do quanto ele ficaria limitado pelas leis vigentes e por nosso processo democrático. Mas isso nunca foi posto à prova por alguém tão distante das normas convencionais. A resposta sincera é que ninguém realmente sabe. O presidente tem muita autoridade e muita influência.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos