Bolsas

Câmbio

Serviço de mapas HERE usa sensores para obter dados de trânsito

Keith Naughton

(Bloomberg) -- A fabricante de mapas digitais adquirida por BMW, Audi e Daimler está lançando um serviço de trânsito em tempo real que alerta para os perigos na via e ajuda a encontrar vagas para estacionar utilizando os sensores e câmeras instalados nos modelos de luxo produzidos por suas proprietárias.

O serviço, que estreará no início do ano que vem, representa o primeiro uso de sensores automotivos para fornecimento de dados colaborativos para oferecer aos motoristas informações imediatas sobre a fluidez do trânsito, segundo comunicado da HERE, a unidade comprada da Nokia em 2015 por US$ 3,1 bilhões. Os dados de trânsito gerados pelos carros de luxo alemães oferecerão informações mais detalhadas do que o serviço de trânsito colaborativo oferecido pelo rival Waze, de propriedade do Google (pertencente à Alphabet), segundo Nicholas Goubert, chefe de gestão de produtos de plataforma da HERE.

Os mapas digitais se transformaram em campo de batalha devido aos carros autônomos, que exigem imagens altamente detalhadas do entorno para transitarem sem um motorista humano. O Google pagou US$ 1 bilhão pelo Waze em 2013 e a Ford Motor investiu em julho na Civil Maps, uma startup da Califórnia que cria mapas tridimensionais para carros autônomos. O serviço de trânsito HERE, que será lançado no Salão do Automóvel de Paris nesta semana e vendido a fabricantes de automóveis de todo o mundo, mostra como os mapas digitais podem se conectar à direção autônoma. Além de oferecer informações aos motoristas, o serviço pode acionar os freios automáticos de um carro para evitar um perigo na rodovia.

"Os alertas de perigo locais serão enviados não apenas ao motorista, mas também ao sistema de direção assistida do carro, para que o próprio carro possa começar a frear antes do incidente", disse Goubert, em entrevista.

A HERE já oferece dados de mapas para cerca de 80 por cento dos carros com sistemas de navegação integrados na América do Norte e na Europa. A empresa espera vender o serviço a essas fabricantes de automóveis para convencê-las a compartilharem dados dos sensores de seus carros com o objetivo de oferecer um fluxo de dados mais detalhado sobre as condições de trânsito.

"Há muito interesse das fabricantes de automóveis em participar", disse Goubert. "Não há dúvida de que nos beneficiaremos com mais dados".

Por exemplo, se mais carros ligarem os limpadores de para-brisa e acionarem os freios ABS, isso informará a quem utiliza o serviço que a chuva está deixando as vias escorregadias à frente, o que torna o trânsito lento. As câmeras atualmente instaladas nos carros serão usadas para ler placas de trânsito que alertam para obras e fechamentos de pistas ou simplesmente quais vagas de estacionamento estão disponíveis em uma rua. Todos os dados permanecerão anônimos e não será revelada a localização nem qualquer detalhe sobre um motorista específico, disse Goubert.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos