Bolsas

Câmbio

VeriFone perde terreno para rivais que apostam em opções móveis

Olga Kharif

(Bloomberg) -- Quando pagam compras no cartão, os americanos estão acostumados a ver o logotipo da VeriFone Systems, que tem sede em San Jose, na Califórnia. Em breve podem começar a ver um logotipo chinês.

A VeriFone, maior fabricante de leitores de pagamentos dos EUA e a segunda maior do mundo, está perdendo terreno para rivais que oferecem mais opções móveis ou preços menores. A participação da empresa no mercado global de terminais de pagamentos encolheu de 16,1 por cento em 2014 para 13,7 por cento no ano passado, segundo uma nova análise da Nilson Report, que monitora o setor de pagamentos. Nos EUA, sua participação tem recuado mais lentamente, passando de 40,5 por cento para 39,4 por cento, apontou o relatório.

Essas conclusões entram na lista de más notícias recentes para uma companhia que não consegue se afastar de uma maré desfavorável. A queda da demanda por novos terminais de cartões com chips entre os pequenos negócios dos EUA e os atrasos na certificação de aparelhos forçaram a VeriFone a reduzir as projeções neste ano. As ações caíram 43 por cento e surgiram especulações sobre uma eventual aquisição, alimentadas por analistas e até por seu ex-presidente. Lenta na corrida rumo aos dispositivos móveis, a companhia atualmente busca impulsionar as vendas com novos produtos e serviços, como o Carbon, um terminal portátil de balcão desenvolvido para cafés, restaurantes e lojas que ocupa espaço mínimo.

"A VeriFone precisa chegar a um lugar no qual esteja lidando muito mais com aparelhos móveis e tablets para depois descobrir quais são as oportunidades de crescimento além da venda de hardware", disse David Robertson, editor do Nilson Report.

O novo relatório ressalta uma tendência problemática para uma empresa em apuros. As fabricantes chinesas Fujian Newland Payment Technology e Pax Global Technology estão assumindo uma participação do mercado de terminais de pagamentos por meio de relacionamentos com empresas locais na Ásia que fornecem leitores de cartões. Na Europa, na América do Norte e em outras regiões, a Fujian e a Pax estão oferecendo preços menores do que cobram a VeriFone e a líder global Ingenico Group.

"Estamos muito confiantes em relação ao papel que a Verifone irá desempenhar no futuro dos pagamentos e do comércio e continuamos sendo cada vez mais relevantes em todos os lugares e entre todos que atendemos", afirmou o porta-voz da VeriFone, Andy Payment, por e-mail. "Continuamos focados na entrega das soluções da próxima geração, que ajudarão nossos clientes a aproveitarem a conectividade maior do comércio global".

A Ingenico, cuja participação no mercado global encolheu de 26,6 por cento para 22,5 por cento, segundo dados da Nilson, não quis comentar imediatamente. Suas ações também caíram neste ano, embora o tombo de 32 por cento tenha sido mais suave que o da VeriFone, porque os investidores dão preferência à lucratividade maior e à exposição menor da Ingenico ao mercado dos EUA.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos