Bolsas

Câmbio

Julius Baer prevê alta do dólar com Trump ou Clinton

Susanne Barton e Anooja Debnath

(Bloomberg) -- O melhor analista de câmbio do mundo recomenda comprar dólares seja qual for o resultado da eleição presidencial dos EUA.

Uma vitória de Donald Trump reforçaria o dólar porque suas políticas comerciais protecionistas apreciariam a moeda em relação às moedas de mercados emergentes, segundo o Julius Baer Group, que está no topo dos rankings mais precisos da agência de notícias Bloomberg pelo segundo trimestre consecutivo.

Um triunfo de Hillary Clinton fortaleceria o dólar frente ao iene porque provavelmente ela manteria o status quo e os investidores voltariam a se concentrar nas chances de o Federal Reserve (Fed) aumentar as taxas de juros, segundo o banco com sede em Zurique.

O Bloomberg Dollar Spot Index avançou mais de 3 por cento desde que atingiu o menor valor de 2016 em maio devido à especulação de que a economia está crescendo rápido o suficiente para levar o banco central dos EUA a ajustar a política monetária. Com a eleição do dia 8 de novembro à vista e a campanha muito acirrada, os traders estão montando estratégias para lucrar -- ou pelo menos evitar prejuízos - no mercado cambial de US$ 5,1 trilhões negociados por dia.

"Comprem dólares independente de quem irá ganhar porque a campanha eleitoral está muito acirrada", disse David Kohl, diretor de pesquisa cambial do Julius Baer em Frankfurt. "Há mais incerteza e isso é bom para o dólar".

Rand

O Rand Merchant Bank em Johannesburgo, o segundo melhor analista, também projeta que o dólar se fortalecerá se Trump ganhar.

O corretor imobiliário de Nova York transformado em político "impulsionaria políticas fiscais de estímulo por meio da redução de impostos, o que estimularia o crescimento e levaria a ajustar a política monetária", disse John Cairns, estrategista do Rand Merchant Bank em Johannesburgo. Se Trump vencer, "isso geraria bastante incerteza nos mercados globais. A força do dólar dominaria".

A projeção otimista do Julius Baer para o dólar é contrária à opinião de investidores como Stephen Jen, que dizem que o iene se beneficiará da demanda como refúgio se Trump for eleito. Jen, CEO da Eurizon SLJ Capital em Londres e ex-economista do FMI, projeta que o iene pode se fortalecer cerca de 15 por cento, para 90 por dólar, nos próximos seis meses.

ABN

O ABN Amro Bank, o terceiro melhor analista nos rankings da Bloomberg, também prevê que uma vitória de Trump enfraqueceria o dólar.

"As políticas dele estarão voltadas para dentro e enfraquecerão as variáveis fundamentais da economia americana", disse Georgette Boele, estrategista de câmbio e de commodities do ABN Amro em Amsterdã. "A economia dos EUA ficaria mais isolada e o crescimento do comércio diminuiria. Os investimentos estrangeiros diretos provavelmente seriam afetados."

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos