Bolsas

Câmbio

Duke Energy deixa América Latina e vende US$ 1,6 bi em ativos

Mark Chediak

(Bloomberg) -- Após oito meses de compras de ativos, a Duke Energy está deixando os negócios da América Latina.

Na segunda-feira, a geradora de energia com sede em Charlotte, Carolina do Norte, EUA, fechou a venda de todas as suas operações na América do Sul e América Central por cerca de US$ 1,6 bilhão em dinheiro. A China Three Gorges irá comprar as plantas do Brasil por cerca de US$ 780 milhões e o grupo de private equity I Squared Capital, com sede em Nova York, vai comprar os negócios do Peru, do Chile, do Equador, da Guatemala, de El Salvador e da Argentina por cerca de US$ 850 milhões.

A Duke está se desfazendo de ativos latino-americanos para limitar sua exposição à incerteza política e às flutuações cambiais da região. E está se unindo a outras empresas de energia dos EUA, como a American Electric Power e a PPL, para buscar crescimento mais estável por meio de negócios regulados.

"De forma geral, eles estão fechando essas transações e avançando como empresa quase completamente regulada", disse Andrew B. Smith, analista de empresas de energia da Edward Jones em St. Louis, nos EUA, acrescentando que o valor do acordo combinado estava dentro da faixa projetada pelos investidores. "É o que os investidores esperavam ver."

A Duke informou que espera fechar o acordo com a China Three Gorges em dois a quatro meses e que o outro acordo está previsto para o primeiro semestre de 2017.

Entre os ativos que a I Squared Capital está comprando estão usinas de energia hidrelétricas e movidas a gás natural capazes de produzir um total de 2.300 megawatts, linhas de transmissão e operações de processamento de gás. O negócio inclui cerca de US$ 350 milhões em dívidas, informou a Duke.

O sócio da I Squared, Adil Rahmathulla, afirmou que a empresa está buscando "tirar vantagem dos fundamentos macroeconômicos fortes no Peru e no Chile e das perspectivas de investimentos em energias renováveis." O acordo dá à investidora global em infraestrutura "escala e tamanho imediatos" na região, disse ele.

"Construir isso do zero levaria muito mais tempo", disse Rahmathulla, acrescentando que seu grupo está interessado em comprar mais ativos na América do Norte, na Europa Ocidental e na Índia.

Usinas hidrelétricas

A coleção que a China Three Gorges está comprando inclui oito usinas hidrelétricas capazes de produzir 2.057 megawatts e duas usinas hidrelétricas com capacidade de 16,5 megawatts cada. O negócio inclui cerca de US$ 420 milhões em dívidas.

A Duke, enquanto isso, acaba de fechar a aquisição da Piedmont Natural Gas, uma distribuidora de gás da Carolina do Norte, EUA, por US$ 4,9 bilhões.

"Nossa transformação estratégica está ganhando mais impulso com a saída do mercado latino-americano para focar no nosso principal negócio regulado doméstico", disse o CEO da Duke Energy, Lynn Good, em comunicado.

Os assessores financeiros da Duke em ambos os acordos na América Latina foram o Credit Suisse e o JPMorgan.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos