Bolsas

Câmbio

Duas startups minúsculas renovam mercado de ouro

Eddie van der Walt

(Bloomberg) -- A tarefa de modernizar o mercado do ouro mais importante do mundo recaiu sobre duas startups pouco conhecidas, que superaram gigantes do setor como a CME Group, a Bolsa de Metais de Londres e a Intercontinental Exchange Inc.

A Boat Services e a Autilla foram incumbidas de aumentar a transparência e modernizar o modo que US$ 5 trilhões em ouro são negociados anualmente no mercado do ouro de Londres. Não é pouco.

Até recentemente, o sistema de compra e venda tinha permanecido praticamente inalterado durante mais de um século e as transações particulares eram realizadas entre um grupo de bancos e operadores sujeitos a regulamentações pouco estritas.

O obscuro sistema de negociação do mercado de balcão do ouro está sendo submetido a uma análise cada vez maior dos órgãos reguladores, para endurecer os controles do trading de commodities.

Como outras bolsas estão desenvolvendo sistemas próprios para maior transparência, os traders que participarão da conferência do setor em Cingapura na semana que vem estão ansiosos para que a London Bullion Market Association (LBMA) divulgue mais detalhes sobre como a plataforma -- que deverá começar no próximo ano -- vai funcionar.

"Queremos receber toda a informação em Cingapura, quem informará e, o que é mais importante, como isso afetará o modo em que operamos", disse Gerhard Schubert, fundador da Schubert Commodities Consultancy DMCC em Dubai e veterano com trinta anos de experiência no setor de metais preciosos. Representantes da LBMA farão uma apresentação em um painel na segunda-feira.

O ouro continua sendo uma das commodities mais populares do mundo e a demanda dos investidores aumentou neste ano. O volume diário de negociação foi de 18,8 milhões de onças em agosto, no valor de cerca de US$ 25,2 bilhões, mostram dados da LBMA.

Nesta semana, a Boat e a Autilla, que têm menos de 30 funcionários e dividem escritórios em um centro tecnológico de Londres, ganharam o contrato para o sistema de informação de operações da LBMA, que rejeitou propostas dos proprietários das grandes bolsas CME, LME e ICE.

A Boat, pertencente à empresa sueca Cinnober Financial Technology, que desenvolve plataformas de trading, criará um banco de dados e um registro de transações. A Autilla criará a nova plataforma de trading, que será de uso optativo para os operadores. Essas empresas foram escolhidas porque ofereceram a opção mais personalizada e flexível, informou a presidente da LBMA, Ruth Crowell.

"Nós realmente éramos Davi nesta luta", disse o presidente da Boat, Jamie Khurshid, 40, em uma entrevista. "Nós não somos um conglomerado de vários bilhões de dólares nem operamos centenas de negócios diferentes."

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos