Bolsas

Câmbio

SoundCloud quer consquistar mercados e continuar independente

Stefan Nicola e Caroline Hyde

(Bloomberg) -- O SoundCloud está obtendo mais receita, expandindo-se e concentrando-se no desenvolvimento de um negócio sustentável para que a startup de música com sede em Berlim consiga continuar independente, disse Eric Wahlforss, um dos fundadores, sem negar explicitamente os rumores de que a empresa está à venda.

O Go, um serviço de streaming por assinatura criado há sete meses, está nutrindo o crescimento das vendas e os acordos publicitários, disse Wahlforss em entrevista à Bloomberg TV, sem dar detalhes. O SoundCloud planeja levar o Go para novos países, disse ele, que mencionou a Alemanha e a América do Sul como potenciais destinos em uma longa lista de mercados possíveis.

O SoundCloud criou o Go, que custa US$ 10 por mês, em março para enfrentar o desafio de gerar receita confiável com sua plataforma on-line, existente há nove anos, em que músicos e DJs podem fazer o upload de músicas e compartilhá-las com os ouvintes.

Assim, a empresa passou a concorrer diretamente com serviços de streaming como Spotify e Apple Music -- além de fortalecer uma base de cerca de 175 milhões de usuários e estimular contratos publicitários, disse Wahlforss. Hoje, Go está em sete países, como EUA, Reino Unido e França, e o SoundCloud expandirá o serviço nesse ritmo ou ainda mais rapidamente, disse ele.

"O crescimento está extremamente bom em relação aos usuários, mas particularmente em termos de receita, porque também estamos implementando propaganda em todos esses mercados", disse Wahlforss, diretor de tecnologia do SoundCloud, que não quis fornecer números específicos.

Rumores de aquisição

Produtos como o Go, que oferece streaming sem propaganda e um acesso maior a músicas a cerca de US$ 10 por mês, alimentaram a especulação de que o SoundCloud é um alvo de aquisição.

Em julho, a Bloomberg News informou que os donos do SoundCloud estavam considerando uma venda que poderia avaliar a empresa em US$ 1 bilhão e, no mês passado, o Financial Times informou que o Spotify estava em negociações avançadas para comprar o SoundCloud.

Wahlforss não quis comentar essas reportagens. Consultado se a empresa deseja continuar sendo independente, o cofundador disse que essa é de fato sua meta.

"Afinal de contas, também como fundador, é lá onde você quer chegar", disse ele. "O desejo é ter algo completamente sustentável e uma empresa que funciona bem. Obviamente, é nisso que estamos concentrados."

O SoundCloud também está conversando com um de seus principais investidores, o Twitter, "em vários níveis" sobre formas de colaborar, por exemplo trabalhando com os artistas, disse Wahlforss. O SoundCloud captou cerca de US$ 70 milhões do Twitter em junho como parte de uma rodada de financiamento de cerca de US$ 100 milhões -- o que avaliou a empresa em torno de US$ 700 milhões, disse uma pessoa com conhecimento do assunto na época.

A meta de levar o Go para uma média de um mercado ou mais por mês sugere uma necessidade constante de financiamento. Embora Wahlforss tenha se recusado a comentar sobre os planos de financiamento, ele disse que é preciso "muito investimento" para lançar novos mercados e produtos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos