Bolsas

Câmbio

Índia tira notas grandes de circulação e gera demanda por joias

Swansy Afonso

(Bloomberg) -- O celular do joalheiro indiano Bachhraj Barmalwa não para de tocar desde que o primeiro-ministro Narendra Modi anunciou pela televisão que a partir da quarta-feira as notas de dinheiro de denominação alta serão retiradas de circulação no contexto de uma campanha do governo contra a corrupção.

As notas de 500 rúpias (US$ 7,5) e de 1.000 rúpias deixarão de ter valor legal a partir da quarta-feira, disse Modi em um discurso não agendado ao país. Como na Índia os lingotes normalmente são comprados com dinheiro, o anúncio provocou um frenesi nas pessoas que querem trocar seu dinheiro por ouro. Assim, alguns atacadistas aumentaram 23 por cento os preços, disse Kumar Jain, dono da joalheria U.T. Zaveri em Mumbai.

A demanda no segundo maior consumidor de lingotes do mundo se esgotará assim que a oferta de dinheiro diminuir, disse Bamalwa, que também é diretor da All India Gems & Jewellery Trade Federation. A medida tomada por Modi afetará mais as compras de joias nos próximos meses. Os preços elevados e a campanha indiana para dar mais transparência às aquisições e à divulgação de renda farão a demanda cair em 2016 para o patamar mais baixo em sete anos, disse na terça-feira o Conselho Mundial do Ouro.

O efeito imediato poderia ser uma disparada muito curta de gastos em joias de ouro e outros artigos de alto valor porque as pessoas vão querer se desfazer do dinheiro que dentro de pouco será obsoleto, disse Tom Kendall, diretor de estratégia para metais preciosos do ICBC Standard Bank, em um relatório publicado na terça-feira. "Essa última iniciativa para reprimir o setor informal poderia ajudar a eliminar os fluxos de ouro não declarados."

Transações

Algumas lojas ficaram abertas até a meia-noite no Zaveri Bazaar, o maior mercado de lingotes de Mumbai, para aproveitar a demanda, disse Ketan Shroff, porta-voz da India Bullion & Jewellers Association. "Depois disso, talvez os joalheiros tenham que tirar férias porque não haverá mais vendas em dinheiro."

O governo deveria ter colocado as notas novas em circulação antes de retirar as notas velhas, agora a situação dos joalheiros ficará complicada nos próximos meses até a liquidez melhorar, disse Shroff. O mercado indiano de joias, que em grande parte não está organizado, realiza a maioria das transações em dinheiro porque as zonas rurais da Índia, que respondem por quase 60 por cento da demanda, têm acesso limitado ao sistema bancário e as pessoas raramente usam cartões de crédito e débito para fazer compras.

Campanha anticorrupção

A medida de Modi, que está chegando à metade de seu mandato, é uma tentativa de cumprir a promessa eleitoral de combater o sonegamento de impostos e recuperar a receita ilegal, conhecida localmente como "dinheiro negro". A iniciativa provocou caos nas cidades indianas, com filas em caixas eletrônicos e postos de gasolina.

As notas em circulação terão que ser depositadas nos bancos até o fim de dezembro, disse Modi em um discurso pronunciado à noite. É a primeira vez desde 1978 que o governo retira dinheiro de circulação, segundo o site do banco central.

"O uso impróprio do dinheiro provocou um aumento artificial nos preços de imóveis e terrenos", disse Modi. "Esta medida fortalecerá a luta contra a corrupção."

Título em inglês: Jewelers in Demand as Indians Try to Dispose of Banned Bills

Para entrar em contato com o repórter: Swansy Afonso em Mumbai, safonso2@bloomberg.net, Para entrar em contato com os editores responsáveis: Daniela Milanese dmilanese@bloomberg.net, Patricia Xavier

©2016 Bloomberg L.P.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos