Bolsas

Câmbio

Planejador financeiro vira terapeuta de investidor nos EUA

Ben Steverman

(Bloomberg) -- Os investidores de diferentes partes dos EUA estão comemorando ou lamentando a eleição de Donald Trump para presidente. Em alguns casos, eles estão levando seus planejadores financeiros a atuarem também como terapeutas. Ou conselheiros do luto.

Em São Francisco, onde Trump recebeu 9% dos votos, as pessoas parecem deprimidas, disse Milo Benningfield, assessor financeiro que trabalha no Presídio, instalação próxima à ponte Golden Gate.

"A frase mais comum que tenho ouvido é 'sinto como se alguém tivesse morrido'", disse ele.

"Realmente parece um processo de luto", disse Jennifer Hatch, sócia administrativa da Christopher Street Financial, a quase 5.000 quilômetros de distância, em Nova York. Embora a empresa de planejamento financeiro seja especializada na comunidade de lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros desde 1981, Hatch não estava preparada para o desafio emocional de ver seus clientes sofrerem esse choque eleitoral.

"Algumas pessoas estão meio paralisadas. Outras, simplesmente deprimidas", disse ela. "E há ainda aquelas que seguiram adiante com suas vidas -- embora seja realmente impossível escapar do assunto."

O excesso de confiança pode prejudicar os investidores, mas entre aqueles que economizam para a aposentadoria ou para outros objetivos de longo prazo, ter muito medo e cautela pode ser ainda mais perigoso. Para conseguir retornos, é preciso assumir riscos. Se estiver paralisado ou em pânico, o investidor provavelmente ficará na defensiva quando deveria procurar oportunidades ou venderá bem na hora errada.

Nunca tome decisões importantes após um funeral, reza o conselho financeiro -- o luto pode afetar sua capacidade de discernimento e provocar arrependimento depois. E enquanto milhões de americanos estão eufóricos com a eleição de Trump, outra fatia do país poderia muito bem estar vestida de preto.

As reações emocionais divergentes dos EUA frente à eleição são evidenciadas pelos resultados das pesquisas Gallup. Antes da vitória de Trump, 16% dos republicanos diziam que a economia estava melhorando, contra 61% dos democratas. Após a eleição, o otimismo democrata com a economia caiu 15 pontos, enquanto a fatia de republicanos que afirma que a economia está melhorando triplicou para 49%.

Com essa situação, os conselheiros financeiros se veem cumprindo o papel de terapeutas políticos de seus clientes progressistas, convencendo-os a manter os planos de investimento, mesmo que sintam como se o mundo estivesse acabando. O trabalho deles está sendo facilitado pelo mercado de ações. Apesar das previsões generalizadas de que uma vitória de Trump derrubaria as ações, o índice S&P 500 amplo está sendo negociado a altas históricas. O indicador acumula alta de 2,7% desde 8 de novembro, embora os preços dos títulos tenham caído quase na mesma medida.

"Não há nada de errado em deixar seu portfólio um pouco mais conservador se isso ajudar você a dormir melhor à noite", disse Diahann Lassus, presidente da empresa de gestão de riquezas Lassus Wherley, que tem sede em New Providence, Nova Jersey, e que tem clientes dos dois lados do espectro político. Afinal, com o S&P nas alturas, é provável que muitos portfólios sejam reequilibrados das ações para os títulos, de qualquer modo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos