Bolsas

Câmbio

J&J conversa com farmacêutica Actelion sobre aquisição, dizem fontes

Manuel Baigorri, Matthew Campbell, Dinesh Nair e Ed Hammond

(Bloomberg) -- A Johnson & Johnson abordou a Actelion para uma possível aquisição da fabricante de medicamentos suíça de US$ 17 bilhões em um momento em que a gigante americana do setor de saúde trabalha para expandir sua linha farmacêutica, disseram pessoas com conhecimento do assunto.

As deliberações ainda estão em um estágio inicial após a primeira oferta da J&J, disseram as pessoas, que pediram anonimato porque as negociações são privadas. A Actelion está trabalhando com uma assessoria para avaliar as opções e as discussões podem não resultar em uma transação, disseram as pessoas.

As ações da Actelion deram o maior salto em mais de dois anos. Embora a Actelion, maior empresa de biotecnologia da Europa, seja apontada como possível alvo de aquisições há anos, seu CEO e cofundador Jean-Paul Clozel disse anteriormente que a companhia planejava continuar independente.

Ele, que tem 61 anos e é um dos maiores acionistas da Actelion, pode agora estar mais aberto a fechar a venda com um prêmio suficiente, disse uma das pessoas.

Uma possível aquisição ampliaria o total de US$ 246 bilhões em transações farmacêuticas anunciadas neste ano, mostram dados compilados pela Bloomberg. Representantes da J&J e da Actelion, que tem sede em Allschwil, na Suíça, preferiram não comentar.

Medicamentos para pulmão

A Actelion subia 9,8%, maior ganho desde junho de 2014, para 173,50 francos suíços, às 9h10 de sexta-feira. As ações já acumulavam alta de 13% no ano, avaliando a empresa em quase US$ 17 bilhões. A J&J, que tem sede em New Brunswick, Nova Jersey, nos EUA, e capitalização de mercado de cerca de US$ 308 bilhões, subiu 10% neste ano.

O diretor financeiro da J&J, Dominic Caruso, disse que consideraria transações de qualquer tamanho que se encaixassem na estratégia de expandir os três principais negócios da empresa -- bens de consumo, aparelhos médicos e produtos farmacêuticos. A empresa fechou a compra da unidade de equipamentos para cirurgias oculares da Abbott Laboratories por US$ 4,33 bilhões em setembro.

A Actelion levou ao mercado dois novos medicamentos para o pulmão que deverão virar sucessos de venda nos próximos três anos. Isso reduzirá a dependência em relação ao Tracleer, medicamento usado para tratar um tipo de pressão alta que afeta as artérias dos pulmões que respondeu por mais da metade de sua receita no ano passado.

As vendas do Tracleer poderão despencar após a introdução de cópias mais baratas no primeiro trimestre de 2017. Enquanto isso, a receita do Opsumit deverá superar US$ 1 bilhão no ano que vem, enquanto o Uptravi deverá superar esse limite em 2019, segundo analistas consultados pela Bloomberg. A longo prazo, a companhia também está desenvolvendo medicamentos experimentais para insônia, lúpus e esclerose múltipla.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos