Airbnb modera sua postura em confronto com órgãos reguladores

Joshua Brustein

(Bloomberg) -- O Airbnb sempre operou sob uma nuvem de incerteza jurídica na batalha contra prefeituras sobre como regulamentar sua rede de imóveis de aluguel de curto prazo. Recentemente, a empresa tem redobrado os esforços para resolver a situação. Na quarta-feira, ela publicou um relatório que apresenta sua abordagem em relação às regulamentações locais, na tentativa de aproveitar um período de uma semana em que a companhia concordou com aplicar limites aos aluguéis em Londres e Amsterdã, desistiu de um processo contra a cidade de Nova York e elogiou normas novas em New Orleans dizendo que elas poderiam ser um modelo nacional.

Em grande parte, o relatório publicado ontem reafirma argumentos já apresentados pelo Airbnb anteriormente. A empresa reconhece que as normas variam de cidade a cidade. Em geral, a companhia afirma que quer cobrar impostos e que ajudará as cidades a impor limites à quantidade de noites por ano em que uma pessoa pode alugar a própria casa na plataforma. O Airbnb continua rejeitando a ideia de que os anfitriões deveriam ter que cadastrar seu apartamento com as autoridades municipais, mas sugere formas para que as cidades possam tornar o processo menos oneroso.

As medidas tomadas na última semana representam uma mudança nas prioridades do Airbnb, que deu preferência a um cenário regulatório estável em vez da atitude de confronto direto que levou a empresa a este ponto. Trata-se também de uma enorme moderação, considerando que a empresa passou os últimos meses processando governos em alguns de seus mercados mais importantes. Em algum momento, o Airbnb precisava começar a se dar bem com os órgãos reguladores para se preparar para uma abertura de capital, embora até recentemente parecesse querer continuar aproveitando a falta de regulamentação por mais tempo.

"Eu vejo onde nós estamos, especialmente na semana passada e na anterior, como um verdadeiro momento crucial", disse Chris Lehane, que administra as operações de políticas da empresa. Ao listar todas as cidades onde fez progressos, ele evitou visivelmente mencionar Nova York, onde a companhia desistiu da tentativa de bloquear uma nova lei estadual, ou São Francisco, onde está envolvida em um processo judicial com as autoridades sobre as normativas municipais de compartilhamento de casas. O Airbnb e São Francisco estão trabalhando atualmente para chegar a um acordo.

"A diretoria sabia que esse dia ia chegar", disse Max Wolff, estrategista de mercado da 55 Capital Partners, uma firma de gestão de investimento. Wolff afirma que o Airbnb sobrestimou o poder de sua imagem de inocente ao tentar conseguir o apoio das autoridades. E, na maioria das vezes, fracassou. O clima geral para as empresas de tecnologia e um surto de publicidade negativa devido a disparidades raciais na plataforma do Airbnb deixaram a companhia em uma posição cada vez mais fraca, e ela estava manchando seu bom nome com sua obstinação. "A empresa cresceu demais para poder continuar operando sem ser notada", disse Wolff. "As companhias sempre pisam na bola durante essa transição."

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos