Desconto do FedEx à associação do rifle irrita ativistas nos EUA

Jeff Green

(Bloomberg) -- Uma coalizão de ativistas dos direitos dos homossexuais e favoráveis ao controle de armas está protestando contra o FedEx devido aos descontos oferecidos aos membros da Associação Nacional do Rifle (NRA, na sigla em inglês) nos EUA, transformando a empresa de transportes global em alvo durante o pico da temporada de Natal.

O grupo está lançando uma campanha on-line e planeja protestos na quarta-feira nas lojas de varejo do FedEx em Denver; Atlanta; Memphis, Tennessee; e Orlando, Flórida, disse Igor Volsky, diretor do Guns Down, grupo de Washington que defende menos armas nos EUA e que é uma das 10 organizações participantes. O grupo enviou uma carta em 7 de dezembro à companhia, mas ficou sem resposta, disse ele. O FedEx não comenta acordos específicos com clientes, disse Melissa Charbonneau, porta-voz da empresa, em comunicado enviado por e-mail.

O FedEx oferece descontos de até 26 por cento no envio aos membros da NRA, o grupo pró-direitos armamentistas que tem 5 milhões de membros, como parte de um programa que também possui ofertas especiais para cartões Visa, segundo o Guns Down. Programas separados oferecem promoções para aluguel de carros na Hertz e hospedagem em hotéis Wyndham, segundo o website da NRA.

"O FedEx é uma das marcas maiores e mais reconhecidas" com descontos para a NRA, disse Volsky. "Se eles realmente valorizam o investimento em comunidades carentes, e consideramos que sim, então a parceria com a NRA realmente arruína a missão."

Os grupos LGBT ampliaram o ativismo contra as armas desde o tiroteio de junho que matou 49 pessoas na boate gay Pulse, em Orlando. O Human Rights Campaign, maior grupo de defesa de lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros, adicionou a segurança contra armas à sua plataforma de ações pela primeira vez neste ano, embora não faça parte dessa campanha.

O Guns Down tem o apoio do Color of Change, que defende os direitos das minorias, da Newton Action Alliance e do Pride Fund to End Gun Violence, disse Volsky. O Color of Change recebeu crédito por ter ajudado a desencorajar as empresas a apoiarem a Convenção Nacional Republicana deste ano devido às visões do presidente eleito Donald Trump sobre as minorias.

O Gays Against Guns, um grupo separado, também protestou contra o FedEx, a Hertz Global Holdings e o Wyndham Worldwide por darem descontos a membros da NRA. Em agosto, o grupo deu uma chamada de atenção na BlackRock devido aos seus investimentos em empresas de armas em fundos baseados em índices. A companhia com sede em Nova York disse que apoia os direitos LGBT e que os investimentos em armas são automáticos, feitos como parte do índice, e não são gerenciados pela BlackRock.

O FedEx, que tem sede em Memphis, EUA, e a United Parcel Service projetaram que movimentarão volumes recorde de pacotes na temporada de compras deste fim de ano, impulsionados pelo salto estimado de 17 por cento nos gastos pela internet. O FedEx movimentou 325 milhões de pacotes no pico da temporada de compras de 2015 e contratou mais de 50.000 funcionários temporários para o período deste ano.

Título em inglês: FedEx Discount for NRA Draws LGBT, Anti-Gun Activist Ire

Para entrar em contato com o repórter: Jeff Green Southfield, Michigan, jgreen16@bloomberg.net, Para entrar em contato com os editores responsáveis: Daniela Milanese dmilanese@bloomberg.net, Patricia Xavier

©2016 Bloomberg L.P.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos