Bolsas

Câmbio

Americanos consomem mais lagosta apesar de preços altos

Jen Skerritt

(Bloomberg) -- Comparados com a maioria dos itens consumidos na hora do almoço, os sanduíches de lagosta vendidos por Alex Robinson na lateral de seu Happy Lobster Truck azul no centro de Chicago já estavam caros. Por isso, ele temia que os clientes fossem comer em outro lugar depois que começou a cobrar US$ 17 em vez de US$ 15 para cobrir os aumentos de custos.

Ocorre que os americanos continuam adorando crustáceos e muitos estão mais do que dispostos a pagar mais. Robinson conta que não perdeu nenhum cliente, mesmo após o aumento do preço neste ano. As 113,4 gramas de lagosta selvagem Maine misturada na manteiga, com um toque de maionese e servida no pão, continuam sendo seu item mais vendido.

"Ninguém nos disse que não vale o preço", disse Robinson, dono do truck. "Os preços estão subindo e o sanduíche continua popular."

Quatro anos após um excedente ter deixado as lagostas com os menores valores desde os anos 1980, os preços estão 37 por cento mais altos neste ano, em média, e são os mais elevados em décadas. Apesar de os pescadores dos EUA e do Canadá terem apanhado mais lagostas do que nunca nos últimos anos, a produção não acompanhou a demanda. As exportações para a China aumentaram e os restaurantes americanos, que se acostumaram aos frutos do mar baratos, usaram a lagosta para incrementar todo tipo de prato, como sopas, saladas e até macarrão com queijo.

"O mercado atualmente está superando a oferta", disse Bernie Berry, presidente da Associação de Lagostas de Água Fria, com sede em Yarmouth, Nova Escócia, que representa os pescadores do Canadá. "Acho que não conseguiremos pescar lagostas suficientes."

A carne canadense das garras e da articulação -- variedade comum usada nos sanduíches de lagosta -- custou em média US$ 28,31 por libra-peso (454 gramas) neste mês, 7 por cento a mais que no mesmo período do ano passado e muito acima da média de 10 anos para dezembro, de US$ 17,85, segundo a Urner Barry, empresa de pesquisa com sede em Toms River, Nova Jersey, que monitora os preços dos alimentos de 1858 até hoje. Em julho, a média atingiu US$ 29,44, a maior da história.

Nos EUA, onde a maior parte das lagostas vem de Maine, a produção no ano passado foi de 146 milhões de libras-peso (66.245 toneladas), maior que a de qualquer outro país, segundo dados do Serviço Nacional de Pesca Marinha. Apesar de o total ter sido inferior às 150 milhões de libras-peso (68.038 toneladas) de 2013, foi 66 por cento superior a uma década antes e a pesca de cada um dos últimos quatro anos ficou bastante acima da média.

O pico da temporada de pesca de lagosta de casca mole dos EUA vai do fim da primavera até o início do outono (Hemisfério Norte), e a temporada canadense de lagostas de casca dura de outubro a maio. Tanto o Canadá quanto Maine restringem o tamanho das lagostas que podem ser apanhadas e as lagostas fêmeas que carregam ovos são jogadas de volta ao mar.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos