Uber envia carros autônomos ao Arizona após veto na Califórnia

Eric Newcomer e Ellen Huet

(Bloomberg) -- Alguns dias de conflitos regulatórios nos EUA foram suficientes para que o Uber retirasse sua frota de carros autônomos das ruas de São Francisco e a enviasse a um território mais amigável, no estado do Arizona.

Na quarta-feira, o Departamento de Veículos Motorizados da Califórnia (DMV, na sigla em inglês) proibiu os carros autônomos do Uber em São Francisco, apenas alguns dias depois de colocados nas ruas. O Uber reagiu levando a iniciativa para outro estado.

"Nossos carros partiram nesta manhã para o Arizona de caminhão", informou o Uber na quinta-feira, por e-mail. "Expandiremos nosso projeto piloto autônomo lá nas próximas semanas e estamos animados por ter o apoio do governador Ducey."

O governador do Arizona, Doug Ducey, cortejou o Uber nas redes sociais na noite de quarta-feira, quando a empresa de carona compartilhada cancelou seus testes autônomos nas ruas de São Francisco. "A Califórnia pode não querer vocês, mas o Arizona quer!", escreveu ele no Twitter. Na manhã seguinte, a frota do Uber se dirigia ao seu estado.

Os carros autônomos não vão sozinhos para o Arizona. O Uber divulgou sete fotos mostrando os Volvos cinzas sendo transportados em caminhões plataforma.

A decisão da Califórnia de revogar os registros dos veículos afetou 16 automóveis do Uber, informou o DMV por e-mail. O órgão também emitiu uma carta para a empresa convidando-a a pedir registro para teste de veículos autônomos, afirmando que possui uma equipe dedicada a agilizar o processo. O Uber informou que deixou de usar os carros no estado.

Na semana passada o Uber começou a usar veículos autônomos em sua cidade, São Francisco, sem pedir permissão ao DMV do estado. A companhia argumentava que seu comportamento não era diferente do adotado pela Tesla Motors, que produz carros elétricos com um recurso chamado Autopilot.

Quase desde sua criação, em 2009, o Uber entrou em conflitos com órgãos na Califórnia, seu estado de origem e em outras partes, geralmente devido às regras aplicadas aos táxis e à mão de obra. No caso dos veículos autônomos, o Uber informou que seus automóveis exigem a supervisão de um motorista humano e que, portanto, não deveriam ser qualificados sob as regras de direção autônoma da Califórnia. O procurador-geral do estado ameaçou entrar com ação legal na semana passada caso a empresa continuasse operando os automóveis sem permissão.

O código veicular da Califórnia define um veículo autônomo como uma "tecnologia que tem a capacidade de conduzir um veículo sem controle físico ativo ou monitoramento de um operador humano". O DMV da Califórnia exige que as provedoras de veículos autônomos se registrem no estado, algo que a Waymo, da Alphabet, a Mercedes-Benz, a Nissan, a Cruise, da General Motors, e a Baidu já fizeram.

As empresas são obrigadas a apresentar relatórios quando os motoristas intercedem ou quando seus carros batem. A Tesla não apresenta nenhum relatório e também considera que não se enquadra nas exigências válidas para os veículos autônomos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos