Monte Paschi precisa de US$ 9,2 bilhões de capital, segundo BCE

Dale Crofts

(Bloomberg) -- O Banco Central Europeu avalia que o Banca Monte dei Paschi di Siena SpA precisa de 8,8 bilhões de euros (US$ 9,2 bilhões ) em capital para reforçar seu balanço.

O cálculo é baseado nos resultados do teste de estresse de 2016, disse o banco italiano em um comunicado divulgado na segunda-feira, citando duas cartas do BCE. Embora o BCE tenha constatado uma piora da liquidez do Monte Paschi entre 30 de novembro e 21 de dezembro, ainda considera o banco italiano solvente. O banco está levantando mais informações a partir dos cálculos do BCE.

Na sexta-feira, o governo italiano disse que irá injetar 20 bilhões de euros no Monte Paschi e em outras instituições depois da tentativa fracassada do banco italiano de captar cerca de 5 bilhões de euros junto a investidores privados.

O presidente do Paschi, Marco Morelli, havia dado a volta ao mundo à procura de investidores para financiar o plano de reorganização do banco, que incluía uma oferta de ações, troca de dívida por ações, como também a venda de 28 bilhões de euros em empréstimos de alto risco.

O jornal Il Sole/24 informou na terça-feira que o governo da Itália irá investir 6,3 bilhões de euros no Paschi, depois de haver publicado na segunda-feira que o Banco Central Europeu havia recomendado um aporte de 4,5 bilhões de euros do estado italiano e de 4,3 bilhões de euros de detentores de bônus. Um porta-voz do governo não quis comentar o assunto.

Problema de liquidez

"O número que o BCE menciona sugere que os problemas do Monte Paschi são muito sérios", disse Jeroen Blokland, gerente de portfólio do Robeco Group em Roterdã, em um comunicado enviado por e-mail aos clientes. "A boa notícia é que o BCE acredita que o Monte Paschi é solvente. Então isso se tornou um problema de liquidez, como vimos antes na Grécia."

A liquidez líquida do Monte Paschi caiu de 12,1 bilhões de euros para 7,7 bilhões de euros no período entre 30 de novembro e 21 de dezembro, segundo o comunicado do banco de 26 de dezembro, com base nas cartas do BCE.

Ignazio Angeloni, membro do Conselho de Supervisão do BCE, disse ao jornal italiano La Stampa que o Banco Central Europeu "continuará fazendo de tudo para assegurar que o banco encontre um modelo de negócios sustentável".

Perguntado se os 20 bilhões de euros em fundos aprovados pelo governo para os bancos italianos serão suficientes, Angeloni afirmou que o valor da intervenção é baseado na premissa de que, em alguns casos, um aumento de capital poderia ser realizado no mercado.

"O contínuo problema do sistema bancário italiano não afeta todos os bancos, mas apenas um número limitado deles", disse Angeloni ao jornal.

As ações do Monte Paschi estão suspensas nas negociações em Milão até todos os detalhes sobre a injeção de capital do banco estarem disponíveis.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos