Mesmo com Trump, novas encomendas melhoram cenário para Vestas

Christian Wienberg

(Bloomberg) -- A maior fabricante de turbinas eólicas do mundo pode sofrer menos do que o temido inicialmente com Donald Trump na Casa Branca, segundo análise do banco sueco SEB.

As ações da Vestas Wind Systems, que no ano passado mostraram a pior queda desde 2012, tiveram a maior alta em cinco semanas nesta segunda-feira, depois de divulgar uma série de novos contratos até dezembro. O SEB elevou sua estimativa para novas encomendas para o ano em 13% e está recomendando que os clientes comprem ações da companhia, que tem sede na Dinamarca.

Com mais de 40% da receita originada nas Américas em 2015, o destino da empresa depende, em grande parte, de políticas de energia renovável na região.

Investidores entraram em pânico após as eleições nos Estados Unidos, levando as ações a uma baixa de 14% com a vitória de Trump --um autodeclarado cético em relação à mudança climática. As ações da empresa dinamarquesa caíram novamente em dezembro, quando o presidente eleito escolheu o Procurador-Geral de Oklahoma, o general Scott Pruitt --um claro opositor da agenda climática da administração Obama-- para liderar a Agência de Proteção ao Meio Ambiente.

"A percepção em relação às ações da Vesta era fraca desde novembro de 2016 devido à preocupação com o desaquecimento nos EUA e o temor de que a próxima administração de Trump adotará uma abordagem hostil às [empresas de energias] renováveis", disse Fasial Kalim Ahmad, analista do SEB, em um comunicado aos clientes na segunda-feira.

Mas Ahmad disse que há uma chance de que o mercado norte-americano possa surpreender "significativamente do lado positivo" este ano. E, embora os investidores tenham estado cautelosos em relação ao tipo de política a ser adotada no setor de energia pelo presidente Trump, o SEB avalia que o fluxo de encomendas confirma a opinião do banco de que "a realidade no terreno é melhor do que a temida pelo mercado acionário".

Apesar de Trump ter deixado claro que não gosta de energia eólica, a legislação existente que apoia a indústria será válida por muitos anos. O Congresso dos EUA aprovou no ano passado um crédito tributário para a produção, ou PTC na sigla em inglês, que oferece incentivos fiscais para produtores de energia eólica até 2020.

As ações da Vestas subiram 5,1% na segunda-feira, o maior ganho desde 24 de novembro, marcando o terceiro melhor desempenho no índice Stoxx Europe 600. Os papéis eram negociados com alta de 4,8%, ao preço de 481 coroas às 15h49 em Copenhague. A ação teve queda de 5,1% no ano passado, o pior resultado desde 2012, quando a empresa perdeu 49 por cento em valor.

A Vestas recebeu encomendas de turbinas eólicas de um recorde de 2,8 gigawatts em dezembro, segundo cálculos do Jyske Bank.

"Vemos boas chances de que a Vestas tenha de melhorar sua expectativa para o fluxo de caixa em 2016", disse Janne Vincent Kjaer, vice-presidente para renda variável do Jyske Bank em um comunicado, repetindo sua forte recomendação de compra da ação.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos