Ofendidos, mexicanos querem que Trump cancele Nafta de uma vez

Isabella Cota

(Bloomberg) -- O Zócalo, uma enorme praça localizada no coração da Cidade do México, é um ponto de encontro desde a época dos conquistadores espanhóis. Ao caminhar por ela atualmente, você encontrará, como esperado, um ódio intenso em relação a Donald Trump.

Mas descobrirá que os mexicanos também estão furiosos também com seu governo por permitir que o presidente dos EUA intimide seu país. Além disso, muitos afirmam que estão cansados do Nafta. A promessa de Trump de reformular o acordo comercial não é suficiente para eles. Deveriam cancelá-lo de uma vez.

"Estaremos melhor fora dele", disse Eduardo Ávila, durante uma pausa em seu trabalho de motorista. Ele buscou no bolso da jaqueta jeans o broche e a fita que havia acabado de comprar, ambos enfeitados com um slogan que se popularizou de repente: "Unidos pelo México. Compre produtos mexicanos."

Trump e seu discurso valentão, disse Ávila, poderiam ser o empurrão que o México precisa para reconhecer seu potencial. "Os EUA não são o único país do mundo -- por que estamos pendurados nele como se tivéssemos um cordão umbilical?"

A realidade é dura: os EUA são de longe o maior parceiro comercial do México, e cerca de US$ 584 bilhões em produtos livres de tarifas atravessam a fronteira a cada ano. Trump classificou o Nafta como "o pior acordo comercial da história", mas ele tem sido positivo para o México porque atraiu bilhões em investimento estrangeiro, criou uma indústria automotiva próspera e diversificou as fontes de receita da economia do país, antes dependente do petróleo. Em cidades fronteiriças distantes da Cidade do México, o Nafta criou milhares de empregos.

Os mexicanos já estavam bastante indignados com seu presidente, Enrique Peña Nieto, cujos índices de aprovação são os mais baixos entre todos os presidentes da história do país, segundo o jornal Reforma. Isso se deve em grande parte ao fato de que o governo elevou os preços da gasolina em 20 por cento no início do ano e prometeu outro aumento em fevereiro, o que desencadeou manifestações.

Peña Nieto foi criticado por se reunir com Trump antes da eleição dos EUA. Agora, não está recebendo muito crédito do povo mexicano por ter cancelado uma visita a Washington na semana passada depois que o presidente americano afirmou que cumprirá as promessas de campanha para encontrar uma forma de fazer o México pagar pelo muro na fronteira.

No Zócalo, Trump e Peña Nieto estão empatados na disputa pelo título de presidente mais odiado.

"Os dois deveriam ser jogados no lixo", disse Ávila. "O muro é o que menos importa. São os políticos deste lado da fronteira que me incomodam. Como eles podem permitir que essa pessoa nos humilhe desse jeito?"

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos