Bolsas

Câmbio

Nos EUA, republicanos revelam projeto de saúde para unir partido

Zachary Tracer, Anna Edney e Steven T. Dennis

(Bloomberg) -- Os republicanos revelaram a tão aguardada legislação para revogação e substituição da Affordable Care Act (Lei de Cuidados Acessíveis, ou ACA, pela sigla em inglês). O plano propõe a eliminação progressiva de partes importantes da lei ao longo de anos em um momento em que o partido tenta romper o impasse entre moderados e conservadores em suas fileiras.

Chamada de American Health Care Act (Lei Americana de Cuidados com a Saúde), a proposta dos deputados republicanos inclui um crédito fiscal reembolsável baseado na idade para ajudar as pessoas a pagar um plano de saúde. Ela acaba com a obrigatoriedade imposta pelo Obamacare de se ter uma cobertura e elimina diversos impostos usados para financiar a lei de 2010. Outras mudanças, como a redução gradativa da expansão do programa de saúde social Medicaid, são divididas em fases ao longo de anos.

Não está claro se a proposta conseguirá angariar o apoio dos conservadores da Câmara ou a aprovação do Senado -- onde os republicanos detêm uma frágil maioria e confiam em um tipo acelerado de processo legislativo cheio de limitações. O presidente dos EUA, Donald Trump, que tem evitado detalhar as propostas políticas e dá preferência a tweets e promessas amplas a respeito da criação de um plano de saúde melhor por menos dinheiro, elogiou o plano na terça-feira pelo Twitter: "Nosso maravilhoso novo Projeto de Saúde saiu para revisão e negociação. O Obamacare é um desastre total e absoluto ? e está implodindo rapidamente!"

"Não se preocupem, a eliminação dos limites dos estados promoverá a concorrência e estará nas fases 2 e 3 da lei para a saúde", acrescentou Trump. Ele disse também que está trabalhando em "um novo sistema no qual haverá concorrência no setor farmacêutico. Os preços vão cair bastante para o povo americano!"

Sete anos após os republicanos começarem a prometer a revogação, a proposta é a visão mais abrangente até o momento a respeito de como o Partido Republicano abordará a substituição da lei de saúde, que ofereceu cobertura a um total estimado de 20 milhões de pessoas. Os republicanos culpam a ACA por elevar os prêmios dos planos e pelos altos custos extras e criticam a exigência de que todos tenham plano de saúde sob a pena de pagarem multa.

Uma pesquisa CNN/ORC divulgada na terça-feira apontou que os americanos estão divididos em relação à imposição do Obamacare de obter cobertura ou pagar multa, sendo que 50 por cento se opõem à remoção da exigência, enquanto 48 por cento são favoráveis à remoção. Outras pesquisas de opinião recentes mostraram um apoio crescente ao Affordable Care Act depois da eleição de Trump.

A proposta divulgada na noite de segunda-feira representa uma tentativa de agradar diferentes correntes dentro do Partido Republicano. Os democratas foram completamente excluídos da elaboração do projeto e reclamam que ele foi redigido em segredo.

As estimativas a respeito de quantas pessoas seriam cobertas segundo o plano republicano em comparação com o Obamacare ainda não foram disponibilizadas.

Com o Obamacare, a proporção de americanos sem plano de saúde atingiu um mínimo recorde em 2015. Apenas 10,5 por cento dos americanos com menos de 65 anos não possuíam cobertura, contra 18,2 por cento em 2010, antes do início das expansões da cobertura da lei.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos