Oito gigantes de combustíveis fósseis poluem tanto quanto os EUA

Jessica Shankleman

(Bloomberg) -- Oito das maiores companhias de petróleo do mundo são responsáveis por jogar na atmosfera a mesma quantidade de poluição nociva para o clima que os EUA como um todo, segundo um estudo feito por uma empresa de pesquisa com sede em Londres.

Saudi Aramco, Exxon Mobil, Gazprom, National Iranian Oil, BP e Royal Dutch Shell estavam entre as oito empresas cujo combustível foi responsável por um terço das emissões de petróleo e gás, segundo a associação sem fins de lucro CDP. As empresas liberaram um quinto dos gases de efeito estufa, sem contar a agricultura e a silvicultura, desde 1988, ano em que a maioria dos governos reconheceu que a mudança climática provocada pelo homem era um risco.

As conclusões sugerem que as autoridades poderiam obter melhores resultados se concentrando nas práticas das empresas em vez de focar em políticas ambientais nacionais. A publicação do estudo coincide com os preparativos do presidente dos EUA, Donald Trump, para reduzir as normas ambientais e possivelmente se retirar do Acordo de Paris, que promete limitar o aquecimento global a menos de 2 graus Celsius em comparação com os níveis anteriores à Revolução Industrial.

"Uma maneira de realmente levar adiante a ação climática é analisar os produtores-chave de combustíveis fósseis que estão causando o aquecimento do planeta, isso é o que os novos dados da CDP trazem à tona", disse Paul Simpson, CEO da CDP, que faz entrevistas com empresas e coleta dados sobre questões de sustentabilidade.

A lista

A CDP analisou 50 empresas de petróleo e gás, avaliando as emissões diretas e a poluição gerada pela utilização de seus produtos desde 1854. O conjunto do setor de petróleo e gás produziu cerca de 40 por cento das 832 gigatoneladas de dióxido de carbono emitidas no mundo nas últimas três décadas, segundo a CDP.

A empresa de petróleo nacional da Arábia Saudita, a Saudi Arabian Oil, também conhecida como Aramco, foi a maior emissora, responsável por quase 5 por cento da poluição industrial com carbono no período.

A China National Petroleum e a Petróleos Mexicanos completam a lista das oito empresas que em 2015 emitiram o equivalente a 6,59 gigatoneladas de CO2. Essa é quase a mesma quantidade que os EUA emitiram no mesmo ano.

A CNPC e a China Petrochemical não responderam a vários telefonemas. Um e-mail à CNPC e um fax à Sinopec não receberam retorno. Funcionários da Aramco não fizeram comentários imediatamente.

"A BP está fazendo sua parte, pedindo um preço para o carbono, fornecendo produtos com menos carbono, inclusive gás natural e energias renováveis, buscando eficiência energética e apoiando pesquisas", disse um porta-voz da empresa. A assessoria de imprensa da Gazprom não quis comentar.

"Fatos são fatos", disse por e-mail Michael Tadeo, porta-voz do American Petroleum Institute. "Os EUA estão liderando o mundo na produção e no refino de petróleo e gás natural e na redução de emissões de carbono, que estão nos patamares mais baixos em mais de 20 anos."

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos