Bolsas

Câmbio

Glencore entra no ramo de postos de gasolina no México: Fontes

Javier Blas

(Bloomberg) -- A Glencore está entrando no negócio de postos de combustíveis no México com um acordo de fornecimento de 15 anos e um investimento de US$ 200 milhões em uma joint-venture com proprietários locais, segundo pessoas com conhecimento da decisão.

O acordo é a primeira iniciativa significativa da Glencore no setor varejista de combustíveis. Ele surge após a entrada de traders de commodities como Vitol Group e Trafigura Group no negócio em todo o mundo, com centenas de postos, da América Latina à África, servindo de pontos de venda para os produtos que eles negociam.

A Glencore fornecerá 180.000 barris por dia de gasolina e diesel para 1.400 postos, cerca de 10 por cento do total do país, disseram as pessoas, pedindo anonimato porque o acordo não foi anunciado. A decisão surge após o México encerrar o antigo monopólio de sua empresa de energia estatal e depois de aumentar, no mês passado, os preços da gasolina para ajudar as distribuidoras.

A Glencore também planeja investir US$ 200 milhões nos próximos dois anos para criar uma nova marca de franquia em uma joint-venture com a G500 Grupo Gasolinero, uma aliança local de postos de combustíveis, disseram as pessoas. Além disso, a trader investirá em terminais e armazenagem. Atualmente, o grupo local vende seus produtos sob a marca da estatal Petróleos Mexicanos (Pemex).

A Glencore preferiu não comentar.

Anúncio da BP

Na semana passada, a BP informou que desenvolverá até 1.500 postos de gasolina no México até 2022, aprofundando seu compromisso de se tornar um novo ator importante dentro do renascimento do setor de energia do país. O anúncio da produtora com sede em Londres veio três meses depois de a empresa ganhar uma licitação para dois blocos de exploração offshore em parceria com a Statoil e a Total.

O México, que registra o maior índice de inflação em quase sete anos, prometeu eliminar progressivamente todos os subsídios ao combustível no decorrer do ano. O chamado "gasolinaço" gerou protestos em todo o país que limitaram a distribuição de combustível e derrubaram o índice de aprovação do presidente Enrique Peña Nieto a uma mínima histórica.

As traders de commodities construíram grandes redes de postos de combustíveis por meio de aquisições e crescimento orgânico para ajudar a compensar a queda das margens em seus negócios principais de compra e venda de commodities. No início do mês, a Vitol anunciou que estava liderando um empreendimento que pagará quase US$ 1,5 bilhão pela maior rede de postos de combustíveis da Turquia.

Peter Grauer, presidente do conselho da Bloomberg LP, é diretor independente sênior não-executivo da Glencore.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos