Bolsas

Câmbio

Para ex-CEO do Google, nova bateria de Goodenough é promissora

Jonathan Tirone

(Bloomberg) -- O criador da bateria de íon de lítio, de 94 anos, inventou outro dispositivo inovador de armazenamento que está chamando a atenção dos pesos-pesados do setor.

"John Goodenough, inventor da bateria de lítio, desenvolveu as primeiras células de bateria em estado completamente sólido", disse o presidente-executivo do conselho da Alphabet, Eric Schmidt, por meio do Twitter, nesta terça-feira. A afirmação de Goodenough de que suas novas células de bateria têm três vezes mais densidade energética que as baterias de íon de lítio da atualidade é "promissora", segundo o ex-CEO do Google.

Uma nova e mais poderosa geração de baterias pode ser feita totalmente de vidro, segundo as conclusões de Goodenough e de sua equipe de pesquisadores, publicadas pela Sociedade Real de Química britânica. Elas armazenam e transmitem energia a temperaturas menores que as das baterias tradicionais de íon de lítio e podem ser feitas usando suprimentos de sódio, abundantes no mundo todo.

A pesquisa pode resultar em "uma célula em estado completamente sólido segura, de baixo custo, com uma enorme capacidade, com uma grande densidade energética e com um ciclo de vida longo, adequada para mover veículos totalmente elétricos pelas ruas ou para armazenar energia elétrica eólica ou solar", escreveram os pesquisadores no periódico científico Energy & Environmental Science.

O armazenamento de energia é visto como o elo perdido na transição do mundo para uma economia sem consumo de carbono. As baterias podem preencher lacunas energéticas das intermitentes energias solar e eólica. Empresas como Tesla e Volkswagen miraram no íon de lítio para iniciar uma nova geração de veículos plug-in.

A pesquisa realizada por Goodenough e sua equipe, que trabalharam a partir da Universidade do Texas em Austin e da Universidade do Porto em Portugal, foi estimulada pela necessidade "urgente" de reduzir o consumo de combustível fóssil e de combater as mudanças climáticas.

Pesquisa de patente

Os pesquisadores estão trabalhando em diversas patentes e procurando colaborar com fabricantes de baterias "para desenvolver e testar seus novos materiais em veículos elétricos e dispositivos de armazenamento de energia", segundo comunicado da Universidade do Texas.

"O caminho do laboratório para a fábrica é longo", disse Julia Attwood, analista da Bloomberg New Energy Finance. "Algumas tecnologias encontram dificuldades significativas quando tentam ganhar escala. Pode demorar um tempo para vermos esses materiais em veículos elétricos ou em armazenamento estacionário."

Foram necessários cerca de 11 anos para Goodenough ver suas inovações em íon de lítio comercializadas pela Sony, em 1991, segundo um perfil de 2015 publicado pela revista Quartz. O cientista começou a focar em tecnologias de armazenamento no Instituto de Tecnologia de Massachusetts durante os anos 1970 como uma possível forma de resolver a persistente crise do petróleo da época, segundo o artigo.

"Acreditamos que nossa descoberta soluciona muitos dos problemas inerentes às baterias atuais", disse Goodenough em um comunicado. "Custo, segurança, densidade energética, taxas de carregamento e recarregamento e duração são fundamentais para que os veículos movidos a bateria sejam adotados mais amplamente."

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos