Bolsas

Câmbio

Safra fraca do milho no Brasil eleva vendas do Mar Negro ao Irã

Anatoly Medetsky

(Bloomberg) -- A Ucrânia e a Rússia estão exportando uma quantidade recorde de milho ao Irã para alimentar a crescente indústria aviária do país após a colheita de uma safra ruim no Brasil, com quem rivalizam no setor, segundo uma consultoria.

A Ucrânia, quarta maior exportadora mundial, vendeu 1,53 milhão de toneladas ao Irã nesta safra até janeiro, um recorde em comparação com períodos comparáveis, informou a UkrAgroConsult em relatório enviado por e-mail na terça-feira. As exportações da Rússia atingiram 606.000 toneladas no mesmo período, número que também marca o ritmo mais rápido do comércio de milho entre os países.

O número contrasta com as ofertas de 673.000 toneladas e de 194.000 toneladas de toda a safra anterior da Ucrânia e da Rússia, respectivamente. A safra vai de setembro a agosto.

O notável aumento do comércio exterior foi inesperado, disse Olena Hesova, analista da UkrAgroConsult em Kiev, por telefone. "O Irã é um país mais fechado que alguns outros. É difícil estimar mercados assim", disse ela.

A Ucrânia e a Rússia, esta a quinta maior exportadora mundial de milho, tiveram colheitas abundantes nesta safra, enquanto o Brasil reduziu sua produção no ano passado após uma seca, diminuindo a concorrência pelo mercado do Irã nesta temporada. O Brasil é o principal fornecedor do Irã, informou a UkrAgroConsult.

Indústria aviária do Irã

A indústria aviária do Irã está se expandindo e isso ampliou a demanda pelos grãos usados como ração, como o milho, informou a UkrAgroConsult no relatório. Na semana passada, o Departamento de Agricultura dos EUA (USDA, na sigla em inglês) elevou sua projeção para as aquisições de milho do Irã nesta safra para 8,5 milhões de toneladas, 29 por cento a mais que na safra anterior.

As importações de milho do país do Golfo Pérsico mais do que dobrariam nesta temporada em relação ao período 2012-2013, mostraram dados do USDA. Em 2012, o Irã registrou falta de frango porque as sanções dos EUA e da União Europeia afetaram as importações de aves.

A demanda do Irã nesta safra está ajudando a compensar aquisições menores da China, que está oferecendo milho de seus enormes estoques aos consumidores locais, informou a UkrAgroConsult. A China importará 3 milhões de toneladas de milho nesta safra, cerca de 46 por cento menos que durante a temporada que terminou em 2016, quando o país começou a consumir seus estoques, segundo o USDA.

Em junho, o Brasil provavelmente levará sua nova safra de milho ao mercado, o que intensificará a concorrência por compradores no Irã, informou a UkrAgroConsult.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos