Bolsas

Câmbio

Uniqlo pisa no acelerador para brigar por coroa global com Zara

Kazunori Takada e Grace Huang

(Bloomberg) -- A Fast Retailing, dona da Uniqlo, está apostando que a velocidade do abastecimento das lojas com os últimos produtos da moda e a oferta de itens personalizados aos consumidores lhe permitirá superar a potência do segmento de vestuário Zara.

A Fast Retailing planeja reduzir o tempo necessário do design à entrega para cerca de 13 dias, aproximadamente o mesmo da Zara, que é de propriedade da maior varejista de roupas do mundo, a Inditex, disse o bilionário proprietário da Uniqlo, Tadashi Yanai, em entrevista no novo centro de design e entregas da companhia, inaugurado nesta quinta-feira em uma área industrial de Tóquio. O novo complexo também ajudará a Uniqlo a expandir as vendas diretas de roupas personalizadas ao consumidor e vai melhorar a eficiência das entregas realizadas no mesmo dia da compra na área de Tóquio, disse ele.

"Precisamos ser rápidos", disse ele. "Precisamos entregar rapidamente os produtos que os clientes querem."

A maior empresa varejista de vestuário do Japão está procurando aumentar a receita total em cerca de 70 por cento, para 3 trilhões de ienes (US$ 26 bilhões), no ano fiscal que terminará em agosto de 2021. Embora o resultado talvez ainda não seja suficiente para superar a Inditex, que divulgou vendas de US$ 25 bilhões em 2016, Yanai disse que o foco da Fast Retailing em roupas que atendem as necessidades diárias dos consumidores ajudará a impulsionar seu crescimento.

"A Zara vende moda em vez de atender as necessidades dos clientes", disse Yanai. "Nós venderemos produtos baseados na vida cotidiana das pessoas e o faremos com base no que ouvimos dos clientes."

Os mercados internacionais, especialmente os da Ásia, crescerão a tal ponto que contribuirão com cerca de dois terços da receita da Fast Retailing nos próximos quatro anos, contra cerca de metade atualmente. A Uniqlo abrirá 100 novas lojas na China e outras 100 no Sudeste Asiático a cada ano, disse ele.

O novo complexo da companhia, no distrito de Ariake, no litoral de Tóquio, acomoda mais de 1.000 funcionários, incluindo designers e equipes de marketing, e também engloba um armazém e instalações de entrega. A concentração de recursos em um único local ajudará a acelerar o processo operacional, disse Yanai.

"A capacidade de atender a todos em qualquer lugar e a qualquer momento com o máximo de roupas de alta qualidade para o dia a dia nos destacará", disse ele. "Queremos entregar rapidamente os produtos que os clientes querem. É por isso que se chama Fast Retailing."

Após registrar um crescimento de mais de 20 por cento das receitas por três anos seguidos, as vendas foram afetadas no último ano fiscal. A taxa de crescimento diminuiu para 6 por cento depois que a Uniqlo elevou os preços devido aos custos maiores da matéria-prima. Após a desaceleração, a companhia modificou completamente sua estratégia de precificação e disse que estava comprometida com a entrega do preço mais baixo possível, mas que foi forçada a diminuir sua meta de receita para 2021 dos 5 trilhões de ienes anteriores para 3 trilhões de ienes.

As ações da Fast Retailing caíram 14 por cento no acumulado do ano, dando à empresa o segundo pior desempenho entre as companhias do Nikkei 225 depois da combalida Toshiba, que perdeu 35 por cento.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos