Porsche embolsa lucro de US$ 17.250 com cada carro

Kyle Stock

(Bloomberg) -- A máquina de lucros da Porsche, que já estava a toda velocidade, acaba de trocar de marcha.

A marca da Volkswagen entregou 238.000 unidades de seus sinuosos veículos no ano passado e registrou um lucro operacional de 3,9 bilhões de euros (US$ 4,1 bilhões), 14 por cento a mais do que em 2015. Com esses números, está prestes a embolsar cerca de US$ 17.250 por carro, uma alta de 9 por cento.

Ou seja, cada vez que vende um carro esportivo 911 ou um SUV Cayenne, a Porsche pode pegar o lucro e comprar um Chevrolet Cruze novo.

As colegas alemãs não estão nem perto de obter o mesmo lucro. A Daimler embolsou cerca de US$ 5.000 por veículo no ano passado, aproximadamente a mesma margem com que a Bayerische Motoren Werke (BMW) vem trabalhando. Parte da mágica se resume ao preço. A Porsche não fabrica carros baratos. Até mesmo marcas de luxo como a Mercedes às vezes oferecem versões mais comuns com margens menores para trazer aspirantes a clientes para a família. E não se engane, os clientes da Porsche pagam um valor adicional pela reputação da marca.

A Ferrari conhece bem esse jogo. Seu lucro operacional equivale a quase US$ 90.000 por veículo. Mas cerca de 30 por cento dos negócios da Ferrari vêm de motores, chaveiros, parques de diversões e outras coisas que não têm rodas. Além disso, a empresa fabrica apenas em torno de 8.000 carros por ano, controlando a oferta para manter os preços altos.

A Porsche já não é mais tão preciosa. Em termos de produto, atualmente tem cerca de um décimo do tamanho da BMW e nos últimos três anos ampliou sua produção anual em 47 por cento. Esse aumento compreende o novo carro esportivo da companhia, o 911 GT3, que custa a partir de US$ 144.000. Além disso, o aumento do lucro da empresa coincidiu com o lançamento de seu modelo mais acessível. Depois que chegou às concessionárias, em 2014, o SUV Macan agora responde por cerca de 40 por cento das vendas da Porsche.

Atualmente o "pequeno tigre", como chamam o Macan nas lojas, é vendido a partir de prosaicos US$ 47.500. Mas poucas pessoas que adquirem um Porsche se contentam com o básico -- seria como ir a uma churrascaria e ignorar os acompanhamentos. Os itens opcionais do Macan elevam o preço tão rapidamente quanto as trocas de marcha no volante com a transmissão PDK do carro: rodas grandes de 21 polegadas (US$ 5.400), assentos de couro natural em "espresso" (US$ 4.920), aquecedores para assentos dianteiros e traseiro (US$ 1.060), estribos (US$ 1.250), escapamento esportivo (US$ 950), moldura de carvalho branco (US$ 1.790) e, naturalmente, uma pintura de cor personalizada para combinar com os olhos de seu amor (US$ 6.520).

"Estamos nos concentrando na satisfação dos clientes", disse Oliver Blume, presidente do conselho executivo da Porsche, em comunicado.

A receita da Porsche equivale a quase US$ 99.000 por veículo. Uma das poucas opções que ainda são gratuitas é buscar o carro na fábrica. Se você está entrando no clube, é possível que queira evitar os assentos espresso e dê preferência à compra de uma passagem de avião.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos