Bolsas

Câmbio

Credit Suisse estuda venda de ações em vez de IPO suíço, dizem fontes

Ruth David, Dinesh Nair e Eyk Henning

(Bloomberg) -- O Credit Suisse estuda a venda de ações avaliadas em mais de 3 bilhões de francos suíços (US$ 3 bilhões) em um momento em que busca ampliar seus níveis de capital, segundo pessoas com conhecimento do assunto.

O Credit Suisse poderá vender um volume de ações correspondente a 10 por cento de suas ações em circulação, ou cerca de 3,1 bilhões de francos, por meio de uma venda de ações acelerada para gestores de recursos, disseram as pessoas, que pediram anonimato porque os detalhes não são públicos.

O banco também conversa com assessores para levantar até 5 bilhões de francos com a venda, sujeita a aprovação dos acionistas, disseram as pessoas.

A captação de recursos, que poderia ocorrer no primeiro semestre do ano, substituiria os planos de oferta pública inicial da unidade suíça da empresa, disseram. Nenhuma decisão final foi tomada e o Credit Suisse ainda pode decidir não realizar a venda de ações, disseram as pessoas. Enquanto isso, continuam os preparativos para o IPO, disse uma das pessoas.

Um representante do Credit Suisse preferiu não comentar.

Necessidades de captação

A recuperação das ações do banco em relação à baixa registrada em julho passado transforma a venda de ações em uma alternativa atraente para o IPO suíço, disseram analistas do UBS liderados por Daniele Brupbacher em fevereiro. As ações subiram mais de 40 por cento desde então, dando ao banco um valor de mercado de cerca de 30 bilhões de francos.

O CEO Tidjane Thiam disse à Bloomberg TV em fevereiro que o banco poderia avaliar alternativas ao IPO porque o acordo de US$ 5,3 bilhões relacionado a títulos hipotecários tóxicos afetou menos do que se esperava as reservas de capital do banco.

O IPO fazia parte de um plano para levantar 2 bilhões de francos a 4 bilhões de francos por meio de uma venda de 20 por cento a 30 por cento dos negócios suíços. Thiam disse esperar tomar uma decisão a respeito das opções de capital o mais brevemente possível em entrevista ao jornal suíço Finanz und Wirtschaft, nesta semana. O banco captou cerca de 6 bilhões de francos em uma venda de ações, em dezembro de 2015.

Os investidores estão retornando aos bancos europeus devido à crença de que o crescimento econômico e as taxas de juros crescentes poderiam reforçar os ganhos. O rival alemão Deutsche Bank informou neste mês que levantaria 8 bilhões de euros (US$ 8,6 bilhões) com a venda de ações para reforçar suas reservas de capital e estimular o crescimento. O banco italiano UniCredit realizou uma captação bem-sucedida de 13 bilhões de euros com investidores em fevereiro.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos