Bolsas

Câmbio

Lojas brincam de esconde-esconde com produtos da Ivanka Trump

Kim Bhasin e Lindsey Rupp

(Bloomberg) -- A Bed Bath & Beyond vendia fraldeiros de bebê da Ivanka Trump em sua enorme loja on-line. De repente, em março, a oferta desapareceu. Na época, um representante de atendimento ao cliente disse que o varejista já não vendia mais a mercadoria da primeira-filha.

A pesar de ser um único produto vagamente cômico, os ativistas que desprezam o pai dela declararam vitória. Enquanto isso, os simpatizantes de Donald Trump (e os da filha dele) atacaram. A Bed Bath & Beyond decidiu dar para trás com a declaração do representante e assegurou aos compradores que apesar de que os produtos de Ivanka já não estavam mais disponíveis on-line, ainda era possível achá-los em algumas lojas.

Esta saga se repetiu em diversas versões entre outros varejistas que vendem bens com a marca Trump. Em fevereiro, quando os produtos da Ivanka Trump sumiram do site da Belk, a empresa disse aos clientes que a decisão fazia parte de operações comerciais "normais" e que a linha de Trump estava disponível nas três principais lojas da companhia. Os produtos dela também desapareceram do site da Burlington Coat Factory, mas eles ainda estão nas lojas físicas da empresa. O mesmo aconteceu na Saks Off 5th e na Stein Mart.

Silêncio

Um porta-voz da marca de Ivanka Trump disse que a empresa não controla a comercialização de seus produtos e que a rotação de produtos de sites para lojas é típica. A empresa de capital fechado licencia seu nome a vendedores que fabricam bens, entre eles uma linha de indumentária de US$ 100 milhões feita pela G-III Apparel Group, sapatos e acessórios. Ela transferiu os ativos da companhia para um fideicomisso administrado por familiares do marido dela, Jared Kushner, reteve a propriedade da empresa e recebe pagamentos.

Muitos varejistas têm sido cautelosos ou simplesmente ficaram calados. Entre os que retiraram a Ivanka Trump de seus sites, nenhum disse se a marca voltará para seus portais, e nenhum, dos procurados pela Bloomberg, disse que deixou Trump por causa da política. Um representante da Belk disse que ainda vende a marca de Trump, mas não quis detalhar se isso quer dizer nas lojas, on-line, ou de ambas as formas. A Saks Off 5th não quis comentar. A Bed Bath & Beyond, a TJX, a Stein Mart e a Burlington não deram retorno a pedidos de comentários.

Boicotes

Tudo começou, é claro, em novembro, quando o pai dela ganhou a eleição. Produtos da marca Ivanka Trump começaram a desaparecer de grandes varejistas como a Nordstrom, a Neiman Marcus e a ShopStyle. Ativistas anti-Trump pediram boicote contra qualquer um que vendesse os produtos da família dela, enquanto que simpatizantes de Trump defenderam boicotar qualquer um que deixasse de vendê-los.

Diante das constantes acusações de conflito de interesses feitas pelos opositores de Trump e as refutações de alguns simpatizantes, não é surpreendente que a maioria das lojas deseje evitar brigas. No entanto, segundo uma especialista em relações públicas, talvez seja melhor que os varejistas escolham um dos grupos.

"Você será criticado de qualquer maneira, então escolha um time, escolha uma posição e fique lá", disse Dorothy Crenshaw, fundadora da empresa de relações públicas Crenshaw Communications. Se uma empresa vacilar, disse, "deixará todos enfurecidos".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos