Bolsas

Câmbio

YouTube quer roubar ganha-pão da TV com programas originais

Lucas Shaw e Mark Bergen

(Bloomberg) -- O YouTube pretende produzir alguns seriados originais que estarão disponíveis gratuitamente no site de vídeo mais popular do mundo, uma grande expansão da programação e dos esforços para atrair anunciantes da empresa pertencente ao Google.

O comediante Kevin Hart, a apresentadora Ellen DeGeneres e a dupla de comediantes Rhett & Link estão produzindo programas sem roteiro que serão lançados neste ano, anunciou o YouTube em um evento para anunciantes na noite de quinta-feira em Nova York. O Google, da Alphabet, também aumentará os gastos no YouTube Red, um serviço pago de streaming de vídeo e música lançado em outubro de 2015.

Os planos representam uma mudança para o Google, que tratava sua enorme biblioteca de vídeos como um site completamente gratuito, não como um lar para programas de TV. No entanto, à medida que mais concorrentes digitais estão se aventurando na programação de alta qualidade, o YouTube se sentiu pressionado a reagir, dedicando recursos a projetos mais caros e buscando um público maior.

A companhia financiará mais de 40 programas e filmes originais no próximo ano, gastando centenas de milhões de dólares, de acordo com uma pessoa com conhecimento dos planos. O YouTube aposta que estrelas famosas vão atrair mais anunciantes como Johnson & Johnson, que patrocina "Best", competição musical de Ryan Seacrest programada para este ano.

"Estamos trabalhando com estrelas do YouTube e grandes celebridades que sabemos que têm apelo internacional, apelo para os anunciantes e que estão amplamente estabelecidas na plataforma", disse Susanne Daniels, diretora de conteúdo original do YouTube, em uma entrevista.

A missão do YouTube nas apresentações anuais NewFront em Nova York, onde as pontocom exibem suas últimas iniciativas nesta semana, é convencer comerciantes a transferir mais dinheiro de publicidade da TV para a internet. A programação original é primordial e o YouTube apresentará programas premium que, segundo afirma, merecem grandes compromissos dos patrocinadores.

Escala global

"Estamos transformando a infraestrutura que construímos para programas originais em um apoio para os nossos maiores parceiros", disse Robert Kyncl, diretor de negócios do YouTube, em uma entrevista. "Ninguém está fazendo como a gente. Ninguém pode lançar originais globalmente com a escala que temos em publicidade."

O financiamento de programas com comerciais não vai diminuir o compromisso do YouTube com o Red, que custa US$ 9,99 por mês e não tem anúncios. A companhia financiou quase 30 programas no Red no ano passado e planeja gastar ainda mais neste ano e no próximo. O YouTube conversou com parceiros sobre o lançamento de programas no Red que custam entre US$ 3 milhões e US$ 6 milhões por hora -- orçamentos comparáveis aos da HBO e do Showtime, disse a pessoa, que pediu para não ser identificada falando sobre planos privados de investimento.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos