Estrelas da luta invadem Hollywood

Kim Bhasin

(Bloomberg) -- "Guardiões da Galáxia Vol. 2", a fábula da Marvel Studios com heróis intergalácticos que se envolvem com os piores vilões do universo, arrecadou US$ 145 milhões em bilheterias dos EUA no fim de semana passado com uma grande ajuda da atuação de Dave Bautista. A transformação do musculoso ator em estrela no papel do burro, porém adorável, (e hilário) Drax, o Destruidor, foi elogiada por críticos e pelo diretor do filme.

Enquanto isso, a World Wrestling Entertainment, a galáxia que foi o lar de Bautista até 2014, tirou proveito de seu impulso na cultura pop. Naquele mesmo fim de semana, a WWE ofereceu em seu serviço por assinatura um pacote de vídeos chamado "Batista Unleashed", uma coleção de seus momentos decisivos no ringue como o personagem Batista (sem o "u" de seu verdadeiro nome), desde sua ascensão inicial a campeão mundial até sua disputa final em WrestleMania.

Diversas estrelas estão tendo sucesso como atores, e a invasão de Hollywood por lutadores parece estar só começando. Desde os tempos de Hulk Hogan ("Rocky III: O Desafio Supremo") e do falecido Andre the Giant ("A Princesa Prometida"), há muito lutadores profissionais aparecem em filmes e na televisão, mas poucos conseguiram se tornar verdadeiros chamarizes na bilheteria. Seguindo o caminho criado por Dwayne Johnson ? conhecido no ringue como The Rock ?, novas e velhas estrelas da WWE estão se tornando mais conhecidas pelo público. Johnson, Bautista e John Cena ? que foi campeão 16 vezes, apareceu em filmes, estrelou programas de TV e protagonizou o Saturday Night Live e The Today Show ? foram os que chegaram mais longe no campo do entretenimento comercial.

A WWE está adorando. Um perfil de cultura pop para qualquer um que tenha raízes no ringue contribui para que a luta profissional ganhe mais exposição. Desse modo, atrai espectadores para os ganchos suados de suas lutas montadas com esmero, onde personagens que parecem saídos de desenhos animados brigam como parte de roteiros bastante bizarros.

Michael Luisi, presidente da unidade interna de produção e desenvolvimento de filmes da empresa, a WWE Studios, disse que os filmes "ampliam a marca".

Johnson foi o protótipo. Seus papéis iniciais surgiram através da WWE Studios (que na época era conhecida como WWE Films) em meados dos anos 2000, quando estrelou filmes como "Bem-vindo à Selva" e "Com as Próprias Mãos". Uma década mais tarde, ele protagoniza filmes de grande orçamento, como "Terremoto: A Falha de San Andreas", "Hércules" e a franquia "Velozes e Furiosos". Em 2016 ele foi o ator de maior bilheteria nos cinemas do ano. Johnson também é a estrela do seriado "Ballers", da HBO. Sua agenda está repleta de projetos, como o lançamento de "Baywatch" e de "Jumanji" neste ano. Em 2018, Johnson lançará também os filmes de ação "Rampage" e "Skyscraper". Parece que todos querem um pouco de The Rock.

"Queremos dar a todos uma oportunidade de mostrar o que podem fazer e montar o currículo deles", disse Luisi, um ex-executivo da Miramax que assumiu o comando da divisão de filmes da WWE em 2011. "Qualquer um tem a chance de participar de um filme, e alguns deles em várias ocasiões caso se saiam bem."

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos